PE: GRCT divulga nota explicando o reajuste tarifário no Grande Recife

A política tarifária do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR) vem sendo conduzida com transparência e respeito aos interesses da grande maioria da população. Desde 2008, o Governo do Estado adota a variação do Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA/IBGE) para reajustar a tarifa. O índice é um dos menores do mercado e leva em consideração os gastos das famílias brasileiras no último ano.
O reajuste de 5,5340%, aprovado pelo Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) na última sexta-feira (04/01), é quase três vezes menor que o defendido pelos empresários do setor. E, vale lembrar, que 80% da população utilizam o anel A, que teve um reajuste de 4,65%. Como conseqüência, a RMR, que já chegou a ter a tarifa mais cara do Brasil, agora conta com a sétima passagem de ônibus mais barata do país.
Apesar de o reajuste adotado visar apenas à reposição da inflação, o Governo vem investindo nas melhorias do Sistema. Este ano, as empresas operadoras deverão cumprir uma meta de renovação da frota em, no mínimo, 200 ônibus. Em 2012, 461 veículos antigos foram substituídos por novos, superando a meta estabelecida, que era de 300. Essa renovação demonstra a confiabilidade do sistema e a preocupação em sempre aperfeiçoar a qualidade do serviço prestado.
Além disso, R$ 230 milhões estão sendo investidos em mobilidade. Atualmente, 800 mil pessoas utilizam o Sistema Estrutural Integrado, que tem como foco a racionalização do sistema, com o ganho da tarifa e o aumento no número de viagens. A previsão é que, com todos os terminais novos em operação, 1,6 milhão de passageiros serão transportados diariamente pagando apenas uma passagem.
O SEI vem sendo modernizado desde 2007 e, até 2014, 25 terminais integrados estarão em funcionamento, totalizando um investimento de R$88 milhões do Governo de Pernambuco. Os corredores Norte-Sul, Leste-Oeste e Ramal Cidade da Copa também trarão uma maior agilidade e conforto ao deslocamento.
O Leste-Oeste será responsável pelo transporte dos passageiros que vai da Praça do Derby até o Terminal Integrado de Camaragibe, atravessando a Avenida Caxangá, onde as paradas serão substituídas por estações. Com 12,5 km de extensão, o corredor vai passar por 22 estações e atender aos terminais integrados da Terceira Perimetral, que será construído no cruzamento da Avenida Caxangá com a General San Martin; de Camaragibe; e da Quarta Perimetral, na BR-101. Também será construído um elevado próximo ao Engenho do Meio. E na Praça João Alfredo, ao lado do Museu da Abolição, na Segunda Perimetral, vai ser construído um túnel. Com uma demanda de 126 mil passageiros/dia, a obra tem um valor estimado de R$ 145 milhões. Os usuários deste corredor terão um ganho de 30 minutos em cada viagem, o que significa que o trabalhador terá economizado um dia de seu tempo ao final de cada mês.
O investimento do Corredor Norte-Sul será de R$ 151 milhões. A obra abrange os municípios de Igarassu, Abreu e Lima, Paulista, Olinda e Recife. O corredor terá início no Terminal Integrado de Igarassu e segue até a Estação Central do Metrô, no Centro do Recife, passando pela PE-15, pelo Complexo de Salgadinho e pela Avenida Cruz Cabugá. O percurso de 37,9 km vai ter 42 estações interligadas a quatro terminais integrados: Igarassu, Abreu e Lima, Pelópidas Silveira e PE-15. Além disso, três viadutos serão construídos, dois nos Bultrins e outro em Ouro Preto. A expectativa é atender a uma demanda de 300 mil passageiros por dia quando o corredor estiver funcionando com o Transporte Rápido por Ônibus (TRO). Hoje são 146 mil usuários/dia. O projeto também prevê a requalificação de toda a ciclovia da PE-15. Para percorrer todo o trajeto os passageiros terão um ganho de 15 minutos em cada viagem, o que significa que o trabalhador terá economizado meio dia (12h) de seu tempo ao final de cada mês.
Já o Ramal Cidade da Copa prevê a construção de uma pista exclusiva de ônibus e duas de carro em cada sentido, além de uma ciclovia ao longo dos seus 6,3 km. Também será construída uma ponte sob o rio Capibaribe, e um viaduto sobre a linha do metrô. Ele iniciará na Avenida Dr. Belmínio Correia, próximo à Estação de Metrô e do Terminal Integrado de Camaragibe, no bairro do Timbi, segue pela Rua Enesf, numa paralela a linha do Metrô, até o TI Cosme e Damião.
Essa agilidade nas viagens deve-se à operação do TRO, que estará presente em todos os corredores. O TRO é um sistema onde os veículos trafegam em faixas exclusivas, possuem ar-condicionado, GPS, sistema de segurança através de registro de imagens e contagem eletrônica de passageiros. As tarifas são cobradas antes de o passageiro entrar nos ônibus e os embarques e desembarques são feitos em estações construídas no mesmo nível dos coletivos, agilizando o tempo de parada dos veículos. O Sistema já é utilizado em cidades como Bogotá (Colômbia), Johanesburgo (África do Sul) e Curitiba (Brasil). O Governo do Estado trabalha diuturnamente com o compromisso de garantir aos pernambucanos um transporte público seguro e com qualidade.
Compartilhe esta matéria

Administração UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *