Prolongamento da Prudente ainda possui pontos inacabados

Trânsito intenso, vai e vem de carros, motos, bicicletas, pedestres. A descrição leva a imaginar que se trata de uma via bastante movimentada da cidade. Mas não é ou, pelo menos, não deveria ser. Esse foi o cenário encontrado na avenida Omar O’Grady – o prolongamento da Prudente de Morais – via que no papel  está interditada para o trânsito, mas na prática já está recebendo um grande número de veículos. Os motoristas alegam que utilizar a BR-101 é gastar tempo e combustível e que o ideal seria a conclusão imediata das obras para desafogar o trânsito da zona Sul de Natal e de Parnamirim.  Os pedestres, que aproveitam a via para caminhar, andar de bicicleta, reclamam que os veículos, além de não respeitarem a interdição, trafegam pelo local em alta velocidade. Até carros das Polícias Civil e Militar e moto do CPTRAN passaram pela avenida Omar O’Grady no período – cerca de uma hora – que a reportagem da Tribuna do Norte esteve no local. A obra está paralisada desde outubro do ano passado, quando os túneis foram construídos. Atualmente, não há qualquer movimentação de máquinas ou homens trabalhando no local.
O diretor geral do Departamento de Estradas e Rodagens do RN (DER-RN), Demétrio Torres, disse que até o final deste mês o contrato de retomada das obras será assinado e os trabalhos começarão de imediato com previsão de término no final de 2013. Em novembro, o Governo anunciou que o prazo era em maio deste ano. A reportagem da Tribuna do Norte percorreu os 4 km do prolongamento da avenida Prudente de Morais e destaca a situação em que se encontram alguns trechos da via. Confira!
Rotatória das avenidas Pudente de Morais com Xavantes: A rotatória vai fazer a ligação das avenidas Prudente de Morais com Omar O’Grady. A ideia era organizar o fluxo de veículos depois da liberação da via, mas com a ‘invasão’ dos veículos, a desordem impera. Motoristas que vêm da Prudente de Morais invadem a contramão na rotatória para ter acesso ao prolongamento que está interditado. A situação é mais complicada no período da manhã e início da noite -horário ida e volta do trabalho e escola – quando aumenta o número de veículos.
Retirada das manilhas de interdição: Moradores de bairros próximos – Cidade Satélite, Parque Industrial – à obra retiraram as manilhas que interditavam toda a avenida Omar O’Grady. A avenida foi dividida em duas vias, foram retirados os empecilhos de um dos lados e os motoristas utilizam apenas um via como mão e contramão. Um perigo, principalmente a noite quando a visão dos motoristas ficam comprometida em virtude da falta de iluminação no local. Sem contar na alta velocidade com que os veículos trafegam.
Túnel 1: O túnel está concluído e o tráfego de veículos pela rua Rio Tamanduateí (embaixo do túnel) foi liberado. A via está asfaltada e o fluxo de carros e motos é intenso no local. Os condutores dizem que esse é um bom atalho para fugir dos congestionamento da BR. A estrutura de cima é de concreto, uma espécie de laje, que quase não é vista devido ao barro que toma conta do local. A situação é a mesma de novembro do ano passado, falta a pavimentação das áreas próximas.
Rotatória: A partir desse ponto não há asfalto. O projeto prevê a construção de uma rotatória ligando as avenidas dos Pintassilgos com a Serra dos Carajás. A primeira já foi asfaltada, mas o trânsito está interrompido. Apesar disso, os motociclistas furam a barreira e passam pelo local que dá acesso ao prolongamento. Do outro lado da via está a av. Serra dos Carajás que ainda está no barro. Os veículos passam pelo local que também dá acesso ao prolongamento.
Túnel 2: Esse túnel também está concluído e o tráfego de veículos pela rua Caiapós (embaixo do túnel) foi liberado.  A partir desse ponto a via volta a ser asfaltada. A situação é a mesma do primeiro túnel: falta a pavimentação das áreas próximas. A parte de cima é de concreto, uma espécie de laje, que quase não é vista devido ao barro que toma conta do local.
Ponte sobre o rio Pitimbu: A ponte também está aparentemente pronta, recebeu inclusive camadas de asfalto. Em virtude da ação do tempo, alguns ferros estão enferrujados. Embaixo, as estruturas que sustem a ponte já estão pichadas. Os vândalos conseguiram chegar ao local que é de difícil acesso. Também falta a pavimentação das áreas próximas. Aqui a situação é complicada porque tem uma espécie de barranco e alguns restos de material espalhados, perigo para os motoristas menos atentos.
Ligação da avenida com a BR-101: Está prevista a construção de um complexo viário para ligar a avenida Omar O’Grady à BR-101. Mas no local nem sinal de que algo vai ser construído. Há muito mato e até umas cercas de arame que dificultam a visibilidade dos motoristas que entram e saem na via que deveria está interdita. Nas proximidades, alguns homens da Prefeitura de Parnamirim trabalham trocando o calçamento da rua.
Memória: A obra da avenida Omar O’Grady se arrasta desde 2007. De lá para cá várias paralisações frustaram os inúmeros prazos para a conclusão das obras. A expectativa do DepartamentoEstadual de Estradas e Rodagens é de que a via desafogue o trânsito na BR-101 no trecho entre Natal e Parnamirim. Entrando no conjunto Parque Industrial, na altura da empresa Brasinox, e indo em direção ao Cidade Satélite, os motoristas podem  seguir pela Omar O’Grady, que vai até a avenida Prudente de Morais. São cerca de 4km de extensão.
A primeira licitação da obra foi de R$ 27 milhões, no entanto o valor não contemplava a construção de duas passagens de nível (sobre as avenidas Caiapós e Tamanduateí, em Cidade Satélite. Com a inserção desses dois equipamentos, somada às correções anuais do orçamento original, o custo passou para algo em torno de R$ 59 milhões.
Fonte: Tribuna do Norte
Compartilhe esta matéria

Administração UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *