10/29: Amanda Gurgel critica solução para retorno das linhas de Nova Natal

Os vereadores de Natal – ou pelo menos três deles – resolveram se unir para tentar acabar com os prejuízos que a suspensão das linhas 03 e 28 de transporte coletivo, estão causando aos natalenses. Nesta semana, a vereadora do PHS, Eudiane Macedo, conseguiu uma reunião para tentar resolver o problema e teve a companhia dos vereadores Sandro Pimentel (PSOL) e Amanda Gurgel (PSTU) na discussão. Uma proposta foi até apresentada e aceita, mas para Amanda, em comunicado enviado na manhã de hoje, ficou claro que ela “não resolve o problema da população”.

Isso porque, segundo Amanda Gurgel, a proposta do secretário-adjunto da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), Clodoaldo Cabral, apresentou – chamando de emergencial – para o problema dos ônibus foi alterar o trajeto dos ônibus 10 e 64, que passam a circular em trechos das linhas 03 e 28, desde o último sábado (26).
“A saída não resolve o problema da população. Mas foi aceita, até porque estes cinco meses foram terríveis para quem teve de andar até 4 quilômetros para pegar um ônibus, para quem ficou exposto à violência na volta para casa, principalmente para as mulheres. A sensação para a população é de alívio, mas não podemos nos contentar com o que a Semob e o Seturn ofereceram. E lembrar que, se deram essa saída paliativa, foi por conta de uma luta que começou há muito tempo, pelos próprios moradores e estudantes”.
Segundo Amanda Gurgel, a reunião mostrou “um pouco do que vai se repetir em toda a cidade. Ficamos quatro anos com Micarla, afundados no lixo e nos buracos e, diante disso, qualquer coisa parece maravilhosa. Com Micarla, não tinha nem merenda nas escolas. Agora basta voltar a merenda que tudo fica bem? Vamos fechar os olhos para o caos nas escolas, que permanece?”.
Para a vereadora do PSTU, “depois de quatro meses andando à pé, qualquer coisa que a Semob oferecesse pareceria uma grande dádiva. Mas não é. Se olharmos com calma, e a população vai ter tempo para perceber isso, a alteração do trajeto das linhas é um retrocesso em relação ao que se tinha antes, com o 03 e 28, mesmo com todos os problemas de lotação que se tinha”.
A vereadora, eleita a mais votada em 2012, acrescentou ainda que em nenhum momento, o secretário-adjunto acenou com a volta destas linhas, que foi a principal reivindicação dos moradores e estudantes, em diversos atos no bairro e na Semob e em um abaixo-assinado. “Apenas disse que ia avaliar estas mudanças para melhorar o serviço. Desse jeito, podemos estar diante de uma saída ‘emergencial’, que acabe virando definitiva, sem a volta do 03 e 28”, apontou.
Vereadores apresentam projeto para empresa pública: A vereadora Amanda Gurgel também ressaltou a necessidade de criação de uma empresa pública de transporte coletivo. A proposta, que foi defendida pelo candidato Robério Paulino, do PSOL, durante a campanha eleitoral pela Prefeitura de Natal, deve ser apresentada na próxima sexta-feira, à secretária da Semob, Elequicina dos Santos.
“Na reunião, vamos apresentar a proposta da empresa pública. Estamos estudando o tema, levantando os números e estamos convencidos de que não só é urgente e necessário, como plenamente viável. Não vamos deixar passar essa oportunidade de usar a falência de uma empresa, para retomar o controle público sobre esse direito. Construindo uma empresa pública, que será um patrimônio e um exemplo, inclusive em um momento em que a cidade e a Câmara se preparam para discutir e decidir a nova Lei de Licitação do Transporte da cidade, previsto para esse ano”, afirmou Amanda Gurgel.
Segundo a vereadora, além disso, será discutida também a situação de Nova Natal, mas também outros problemas, como as diversas mudanças de trajetos e retiradas de linhas, “que vem afetando a população de diversos bairros, como Nova Descoberta, Parque das Dunas, e os estudantes da UFRN”. Amanda Gurgel ressaltou ainda saber que “as empresas Guanabara e Reunidas têm interesse em ampliar sua atuação nessas áreas. A arrecadação de passagens do 03 e do 28 chegava a cerca de R$ 1 milhão por mês. Que empresa que não quer assumir parte disso?”.
Dessa forma, Amanda Gurgel vê que a “solução emergencial” da Prefeitura, coloca a população na mão dos empresários mais uma vez. “Os mesmos que mantém a frota de ônibus mais antiga do país e que desrespeitam todos os dias a população. Na audiência, moradores reclamaram de que nos fins de semana, o trajeto do ônibus é simplesmente alterado. Isso ocorre permanentemente. O Seturn não sabia disso? A empresa não sabia? O desrespeito é diário e vai continuar. Já está acontecendo em outras partes da cidade, em outras linhas”, analisou a vereadora.
“O momento de crise é o momento de saídas decisivas, de ter coragem para resolver os problemas. A situação dos ônibus em Nova Natal oferece todas as condições para que a prefeitura – agora um novo governo – assuma o dever que é seu, o de garantir o direito da população ao transporte. A empresa Riograndense não atende mais a população. Faliu. Na reunião, nosso mandato apresentou uma saída definitiva para a situação dos transportes, que é a criação de uma empresa municipal de transporte, que comece operando as linhas 03 e 28. Há todas as condições para isso, mesmo com o caos nas finanças do município”, garantiu.
Segundo Amanda Gurgel, a criação da empresa pública acabaria com o que ela chamou de “monopólio do Seturn (Sindicato das Empresas de Ônibus)” e abriria “caminho para a estatização do sistema”. “Sem o objetivo do lucro, é possível ter ônibus baratos, de qualidade, adaptados, com ar condicionado e na quantidade necessária, em todos os horários”.
Compartilhe esta matéria

Administração UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *