Mossoró: Mototaxistas suprem deficiência de ônibus e alternativos

A deficiência dos transportes coletivos intermunicipais tem feito surgir uma nova modalidade de serviço entre os mototaxistas. Eles surgem como alternativa para quem necessita se deslocar entre cidades de curta distância.
Para os mototaxistas, o transporte de passageiros intermunicipal se tornou mais comum depois que algumas empresas de ônibus deixaram de circular na região ou reduziram e número de veículos circulando. Além disso, o fato do transporte alternativo não circular em determinados horários, a saída encontrada pelos passageiros acabou sendo o frete de uma moto para seguir seu destino. Para a classe significa uma renda a mais, para o cliente o preço é um ponto alto e de certa forma arriscado por não oferecer muita segurança.
Na grande maioria das cidades da região Oeste do Rio Grande do Norte os taxistas não cobram preços fixos nos deslocamentos.  Para os clientes a demanda do mercado influi nos preços, assim como a necessidade de se cobrar preços mais acessíveis para manter uma clientela.
Os destinos mais comuns são as cidades circunvizinhas dos polos regionais. Dependendo da distância entre os municípios os preços variam de R$ 15,00 a R$ 60,00, mas isso dependendo do condutor.
“Não existe um preço fixo, depende muito do condutor, tem alguns que colocam preços altos demais e, às vezes, acabam prejudicando o trabalho. Mas a maioria cobra um preço médio, que é cobrado com base na quilometragem e no horário em que a corrida for feita”, afirma Leilson Moreira, que trabalha como mototaxista há 12 anos. Ele conta que as corridas mais frequentes são realizadas dentro de Mossoró, mas têm sido comum as corridas para cidades no entorno de Mossoró.
Segundo ele, a profissão oferece muitos riscos, principalmente devido ao tráfego intenso de veículos nas rodovias e os assaltos, que acontecem com certa frequência. Ele conta que o condutor precisa ficar atento para não passar por situações ruins.
Risco na profissão requer cuidados redobrados: Apesar das dificuldades e dos riscos da profissão, os mototaxistas garantem que para quem quer trabalhar com seriedade e cuidado, a profissão assegura um bom retorno financeiro. “Quando trabalhamos sério, conseguimos conhecer muitas pessoas honestas e acabamos fazendo amizades que se tornam clientes fiéis”, comenta Leilson Moreira. Segundo ele, quem trabalha em média 12h, tem um rendimento mensal em torno de R$ 1.500 reais.
Para os motoxistas, a realização de viagens intermunicipais acaba suprindo a redução das corridas que eram realizadas para a zona rural. Mesmo assim se faz necessário evitar corridas em determinados horários e com pessoas estranhas. “É preciso evitar certas situações de risco como viagens longas à noite com estranhos e corridas com pessoas que são totalmente desconhecidas, sem uma análise prévia”, destaca Edilson Araújo que trabalha em Pau dos Ferros e realiza constantemente viagens com passageiros para os municípios em torno da cidade. A maioria fica distante em média 10 km de Pau dos Ferros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.