Vereador defende transporte público gratuito: “Obras são apenas paliativos”

A participação de Sandro Pimentel, do PSOL, em discussões sobre o transporte coletivo de Natal não é de hoje. Há muito tempo o, agora vereador de Natal, já participava de manifestações, por exemplo, contra o aumento da passagem de ônibus. Contudo, ocupando no momento a cadeira de parlamentar, Pimentel pretende trabalhar para resolver os problemas da mobilidade urbana e, para isso, tem uma proposta bastante ousada: transformar o atual sistema de transporte “deficitário e sucateado”, como classifica, em um “transporte gratuito”.

O desejo de Sandro Pimentel é levar a gratuidade que hoje só é permitida aos idosos e portadores de necessidades especiais para toda à população natalense. Para isso, claro, seriam necessárias várias alterações na atual conjuntura do sistema de transporte coletivo. Consequentemente, antes de apresentar qualquer projeto, Sandro Pimentel quer apresentar a ideia na Câmara Municipal de Natal (na próxima segunda-feira) e para a população em audiências públicas.
“Seria muito mais importante do que as obras de mobilidade urbana, que são meros paliativos. O transporte gratuito seria, enfim, a solução dessa questão em Natal”, afirmou o vereador, pouco depois do prefeito Carlos Eduardo ter anunciado um investimento de quase R$ 700 milhões em obras de mobilidade urbana que serão feitas até a Copa do Mundo de 2014.
Segundo Sandro Pimentel, parte do custeio dessa medida de gratuidade seria feito por empresas e pelos órgãos públicos. “A Prefeitura de Natal, assim como as empresas privadas, pagam uma parte dos valores do vale transporte de seus funcionários, certo? Pois então pronto: parte desse custeio chegaria dessa forma. Além disso, seria possível também reverter os valores pagos em multas para esse setor, entre outras formas de arrecadação possíveis”, afirmou Pimentel.
O valor arrecadado nisso, porém, poderia até não ser suficiente para viabilizar todos os gastos do atual sistema do transporte coletivo. Porém, quem disse que não será suficiente para mantê-lo em uma situação futura, quando os problemas da mobilidade estarão amenizados? “Hoje se anda de carro próprio porque o transporte coletivo é caro e cheio de problemas. No futuro, sendo gratuito, mais pessoas fariam a opção por ele, deixariam os carros em casa. Com menos carro nas ruas, seria possível ter uma maior fluidez no trânsito e, consequentemente, a tramitação seria mais rápida e com menos custos para o sistema”, analisou Sandro Pimentel.
Teoricamente, viabilizada esses custos, restaria saber se as grandes empresas do transporte coletivo que atualmente são responsáveis pelo sistema em Natal topariam trabalhar de forma gratuita. E, para Sandro Pimentel, não há dúvidas que sim. “O fato é que hoje as empresas estão falidas ou falindo. O transporte público é muito caro e não compensa. Com a gratuidade, as empresas que operariam o sistema receberiam valores mensais e deixariam as suas condições deficitárias. Realmente, posso dizer que ganhariam todos”, garantiu.
Empresa pública: Durante a campanha eleitoral, Sandro Pimentel, ao lado do candidato a prefeito do PSOL, professor Robério Paulino, defendeu a criação de uma empresa pública de transporte coletivo que cobraria o valor simbólico de R$ 1 por passagem. A proposta, segundo ele, foi ampliada para essa gratuidade completa do sistema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.