Data-base: “Buscar reajuste tarifário é a única saída, diz SETURN

O porta-voz do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Natal (Seturn), Norberto Faria, informou que as empresas de ônibus ainda não procuraram a Prefeitura de Natal para discutir a questão de um eventual reajuste na tarifa de transportes, mas admitiu que isso traz uma preocupação em função do impacto que esse reajuste deverá ter para o custo operacional das empresas.
“Tudo isso que foi discutido implica em aumento de custos, porque os salários e as obrigações trabalhistas e sociais representam 45% do custo do valor da passagem”, disse Noberto Faria. Ele também disse que outro insumo importante, o óleo diesel, responde por outros 25% desse custo operacional, sem se falar que há dois anos e três meses não ocorrem reajuste da tarifa, enquanto nesse período ocorreram três reajustes salariais para os trabalhadores, que somam um índice de 21%.
Na semana passada, o coordenador jurídico do Seturn, Augusto Maranhão Vale, havia admitido que o reajuste salarial da categoria implicaria diretamente na tarifa de ônibus. Segundo ele, caso a proposta apresentada de reajuste salarial e de vale-alimentação em 7,5% seja aceita, o preço da passagem poderá saltar dos atuais R$ 2,20 para até R$ 2,60. O sistema de transporte está sem reajuste na passagem há 27 meses. Entre as formas de subsídio, o Seturn já apresentou proposta para a redução do ICMS do óleo diesel, junto ao governo do Estado, e redução do ISS, mas não houve qualquer conversa nesse sentido.
Na segunda-feira, Noberto Faria disse que  buscar um reajuste tarifário deve ser a única saída para as empresas, porque não existe outras políticas de financiamento e nenhum tipo de subsídio para o setor, que é custeado exclusivamente pelo usuário. “Isso não é privilégio de Natal, é no Brasil inteiro”.

Decisão sobre reajuste fica para sexta: A negociação para o reajuste salarial dos motoristas e cobradores de ônibus ainda terá um novo capítulo. Em reunião com o vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-21ª Região), desembargador Carlos Newton Pinto, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Natal (Seturn) e o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Rio Grande do Norte (Sintro-RN) não chegaram a um acordo definitivo sobre o aumento salarial para os trabalhadores rodoviários durante  reunião na tarde de ontem (8). O desembargador Carlos Newton marcou nova rodada de negociação para a sexta-feira, às 10h, também no TRT.

Na reunião de ontem, o Sintro disse que poderia aceitar um reajuste de 15% para o vale-alimentação.  O Seturn apresentou duas propostas. As duas mantinham o reajuste salarial em 7,5%, mas uma dava 12% de aumento no vale-alimentação e 3% para dupla função e a outra, 15% para o vale e 2,5% para a gratificação. Carlos Newton decidiu, então, que o Sintro teria que escolher entre uma das duas na próxima rodada.

Com informações: Tribuna do Norte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.