Pró-Transporte: Quatro empresas seguem na licitação

As obras do Pró-Transporte, ações de mobilidade urbana na Zona Norte, orçadas em R$ 92 milhões, devem ser iniciadas no início de agosto. Na última quarta-feira, a Secretaria Estadual de Infraestrutura (SIN) recebeu os envelopes com a documentação técnica de quatro empresas. O resultado do processo licitatório deve ser apresentado em 60 dias. Iniciado há oito anos, o projeto teve o valor reajustado em 64% e prevê uma série de intervenções viárias na Zona Norte de Natal.
Após duas prorrogações para a entrega de envelopes, a primeira no dia 15 fevereiro e a segunda no dia 27 de março, apenas as construtoras A.Gaspar, IM Comércio e Terraplanagem, CMT Engenharia e ESSE apresentaram propostas técnicas – até então, 31 empresas haviam demonstrado interesse no projeto ao retirar edital das obras. Dos licitantes, dois são potiguares (A.Gaspar e IM Comércio). A CMT tem sede em Brasília e a ESSE é de Recife (PE).
Para o diretor da A.Gaspar, Arnaldo Gaspar, o reduzido número de construtoras na disputa pode facilitar os trâmites da concorrência. Ele espera que não ocorram novos atrasos no processo de licitação. “Espero que não ocorram recursos emperrando o processo. Mas, em todo o caso, vamos esperar os 60 dias”, disse.
O processo licitatório será realizado através do modelo de concorrência pública. A partir de hoje, a assessoria técnica da Secretaria de Infraestrutura inicia a etapa de habilitação. Serão verificadas as qualificações técnicas dos licitantes e documentos comprovando a regularização nos órgãos fazendários. No fim de julho, com o término da fase de habilitação, serão abertas as propostas financeiras. Ganha quem oferecer o menor preço.
O Novo Jornal tentou falar com a atual secretária de infraestrutura, Kátia Pinto, para repercutir a prorrogação dos prazos do projeto do Pró-Transporte, mas não obteve sucesso.
O Pró-transporte está 64,29% mais caro do que quando foi apresentado em 2005. O convênio assinado entre Governo do Estado e a Prefeitura do Natal com o Ministério das Cidades previa um valor na ordem de R$ 56 milhões. Hoje, o conjunto de obras está avaliado em R$ 92 milhões.
Desde que foi anunciada, há oito anos, apenas uma das oito intervenções saiu do papel: o viaduto construído na Avenida das Fronteiras, bairro de Nossa Senhora da Apresentação. Entretanto, a obra necessita de ajustes. Estavam previstas quatro alças viárias, mas só duas estão em funcionamento. As restantes dependem de novas desapropriações no entorno do equipamento.
Foto: Eduardo Maia (Novo Jornal)
Fonte: Novo Jornal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.