Prefeitura vai apresentar projetos de mobilidade ao Governo Federal nesta semana

O Governo do Estado e a Prefeitura de Natal ainda não apresentaram projetos para o chamado Pacto da Mobilidade, que deve injetar R$ 50 bilhões em obras para o transporte público e de infraestrutura viária. O investimento foi anunciado há vinte dias pela presidente Dilma Rousseff. Por conta destes recursos, o Ministério do Planejamento, em Brasília, virou local de peregrinação de gestores públicos. O prefeito Carlos Eduardo deve encaminhar suas propostas ainda esta semana, oito ao todo, que podem somar R$ 258 milhões. Já no âmbito do Estado, a promessa é de que os projetos serão apresentados em trinta dias.
A secretária municipal de Mobilidade Urbana, Elequicina dos Santos, pretende viajar amanhã para Brasília. Ela vai apresentar um conjunto de obras que remonta ainda à gestão Micarla de Sousa e estava parado por falta de recursos. O principal projeto é o do entroncamento da Avenida Prudente de Morais com a Avenida Governador Tarcísio Maia. O valor é cerca de R$ 25 milhões.
Das oito obras que serão apresentadas, esta é a que demanda maior urgência. “É uma obra de adequação”, ressaltou Elequicina. Isso porque a edificação deve servir para desafogar o tráfego naquela região após o término dos serviços de duplicação da Prudente de Morais, nas proximidades do Parque das Dunas. A obra é composta de um viaduto e duas alças de ligação, abrangendo uma área de 500 metros.
Outro projeto é o de reestruturação da Avenida Romualdo Galvão e da Avenida Lima e Silva. A intervenção deve custar R$ 21,60 milhões. O projeto contempla um viaduto em terra armada, com 220 metros de extensão, ligando as duas avenidas. A obra vai resolver um dos antigos pontos de engarrafamento da cidade. O local é considerado um gargalo do tráfego. Um túnel de 185 metros de extensão, já na Avenida Lima e Silva, fará a intersecção com o atual complexo viário da Avenida Salgado Filho.
Outra iniciativa aguardada pela Semob é a reforma de 17 ruas e avenidas da capital. “Um projeto importante para a fluidez do transporte público”, segundo Elequicina dos Santos. A previsão de gastos é de R$ 104 milhões. É o mais caro dos projetos apresentados. Representa 40% dos R$ 258 milhões solicitados pela Prefeitura.
A Semob pretende transformas as vias em corredores de transporte público coletivo, incluindo passeios acessíveis, faixas prioritárias, faixas exclusivas, novos abrigos de passageiros, redes semafóricas sincronizadas e sinalização horizontal e vertical. A meta é construir mil terminais de ônibus em toda a cidade.
“Os terminais serão padronizados e devem servir para a integração da mobilidade”, explica a secretária. A expectativa da prefeitura é conseguir iniciar, ainda este ano, o processo de integração do sistema de transporte público intermunicipal. Desta forma, os ônibus que vêm das cidades vizinhas não teriam obrigação de atravessar a cidade. “A população poderá desembarcar numa destas estações e seguir viagem, de forma gratuita, nos ônibus da capital”, disse.
Na Avenida Hermes da Fonseca será feito um túnel na altura da Avenida Alexandrino de Alencar. A obra deve encerrar um conflito existente entre carros e ônibus na região. A intervenção inteira deve custar R$ 25,378 milhões. A estimativa é de que no trecho da Hermes da Fonseca a ser beneficiado com o túnel passem 52 mil passageiros por dia.
Para a Avenida Bernardo Vieira, a Semob planeja uma faixa exclusiva de ônibus de 4,5 Km até à Avenida Xavier da Silveira. Será feita uma concretagem do corredor e também está prevista a adequação dos abrigos dos usuários de transporte coletivo. O trecho deve contar ainda com um túnel com a Prudente de Morais e dois viadutos – um com a Avenida Coronel Estevam e outro na Xavier da Silveira. O custo total é de R$ 41,534 milhões.
Outra obra que será apresentada ao Ministério do Planejamento é a das Avenidas Amaro Barreto e Coronel Estevam, e que contempla uma área de 4.589 metros interligando os bairros da Zona Norte e parte da Zona Oeste aos bairros da Cidade Alta, Petrópolis e Ribeira. Na Coronel Estevam, por sinal, será construído um viaduto por cima da linha férrea, facilitando o trânsito para os motorista, inclusive nas questões de segurança. O trecho inteiro está avaliado em R$ 28,909 milhões.
Foto: Humberto Sales (Novo Jornal)
Fonte: Novo Jornal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.