Diretor do SITOPARN: “É possível ter passagem de R$ 2 reais e lucro de R$ 6 mil por coletivo”

Ao que se sabe, ninguém tem acesso ao lucro das empresas de transporte coletivo de Natal. Contudo, com base em informações repassadas pelo Sindicato dos Permissionários de Transporte Opcional de Passageiros do Rio Grande do Norte (Sintoparn), é possível ter uma noção disso – e saber que a quantia não é nada baixa. “Vamos mostrar uma planilha confirmando que a passagem pode custar R$ 2 e, ainda assim, é possível ter um lucro líquido de R$ 6 mil, por mês, por alternativo circulando na cidade”, afirmou José Pedro Santos Neto, diretor de comunicação do Sindicato, acrescentando que prefeito jamais diminuiu preço da passagem.
“Carlos Eduardo maquiou a redução (ao baixar de R$ 2,40 para R$ 2,20). Essa redução foi garantida pelo Governo Federal”, analisou o diretor de comunicação do Sitoparn. A avaliação se baseia no fato de que o prefeito aumentou a passagem em 20 centavos e, depois, reduziu 20 centavos. Contudo, desta redução, 10 centavos foi proporcionado por uma dedução de impostos do Governo Federal. Ou seja: Carlos Eduardo teria reduzido apenas 10 centavos dos 20 que ele majorou.
Os alternativos são veículos coletivos que circulam em Natal, sendo muitas vezes as únicas opções dos usuários em linhas que as empresas de ônibus, há tempos, já deixaram de circular. Ao ocuparem a sede da Prefeitura de Natal por dois dias na semana passada, os manifestantes do Sintoparn afirmaram que para conseguir esse lucro, no entanto, é necessária a unificação da bilhetagem eletrônica, algo cobrado por eles desde que o cartão de transporte foi implantado em Natal.
O diretor também afirmou que o projeto de licitação dos transportes (que foi devolvido pela Câmara à Prefeitura na tarde de hoje) pode ser classificado como “muito ruim”.
A ocupação da sede da Prefeitura ocorreu na terça-feira e durou cerca de 33 horas. Durante esse período, veículos do transporte alternativo interrompiam a circulação na frente do prédio, que fica em Cidade Alta.
Com informações: Portal No Ar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.