Rodoviários param em protesto contra assaltos a ônibus em Natal

O trânsito em Natal esteve confuso desde o início da manhã desta segunda-feira (5), devido a uma paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus que surpreendeu a população. A manifestação, que parou o tráfego de veículos em diversos pontos da capital potiguar, é contra a onda de assaltos que vem ocorrendo na cidade. De acordo com o Sindicato dos Rodoviários, durou toda a manhã e parte da tarde, quando os ônibus voltaram a circular. Os principais pontos de parada foram próximo ao Midway, a avenida Bernardo Vieira, em frente à sede do Sintro-RN (no Baldo) e na praça Augusto Severo, na Ribeira.

Após estacionarem os veículos em pontos específicos da cidade, os motoristas se reuniram e saíram da Ribeira em direção ao Centro Administrativo, juntando-se aos demais no decorrer do percurso até o Centro Administrativo.

De acordo com Nastagnan Batista, presidente do Sintro, nesse domingo (4), foram registrados oito assaltos e, no fim de semana, um motorista foi esfaqueado. “Devido a esses assaltos que vem acontecendo, vamos à Governadoria entregar uma pauta de reivindicações à governadora ou à autoridade responsável”, disse. Ele afirma também que, até que sejam recebidos no Centro Administrativo, “o máximo possível” do serviço ficaria parado.
Segundo Nastagnan, o principal ponto da pauta é a segurança, mas também se pede a criação de uma secretaria de transportes intermunicipal e corredores exclusivos para ônibus nas vias.
A praça Augusto Severo, em frente ao Teatro Alberto Maranhão, na Ribeira, foi um dos pontos de interrupção do fluxo pelos ônibus. O trânsito foi interrompido por guardas da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) na avenida Duque de Caxias, na altura do cruzamento com a avenida Tavares de Lira. Na Ribeira, os primeiros ônibus pararam próximo ao colégio Salesiano São José e a fila de veículos acompanhou toda a praça, chegando próximo à Tavares de Lira.

Rosalba garante segurança: A governadora Rosalba Ciarlini garantiu que fará uma força-tarefa junto às polícias Civil e Militar para coibir e investigar os assaltos a ônibus em Natal. A garantia foi dada no início da tarde de hoje (5), durante reunião com comissão formada por rodoviários que cruzaram os braços devido à insegurança nos transportes públicos.

Na reunião, que durou 25 minutos, Rosalba admitiu falhas na área e disse que haverá reforço na Delegacia de Furtos e Roubos para que haja atuação incisiva na investigação sobre os crimes, prendendo os autores dos assaltos. Além disso, Rosalba também garantiu que a Polícia Militar vai intensificar as blitzen pelos trechos onde os ônibus cumprem o trajeto em Natal.
Para o pagamento das diárias operacionais aos policiais militares que atuarão nas blitzen, com auxílio da Polícia Civil, Rosalba informou que serão utilizados recursos oriundos de parceria com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), mas não precisou quanto deverá ser investido na ação.
Ainda no encontro, ficou agendada uma nova reunião entre a cúpula da Segurança Pública, Governo do Estado e rodoviários para o início do mês de setembro, quando haverá uma avaliação sobre as medidas tomadas para a segurança nos transportes públicos. Até lá, o Sintro disse que não haverá paralisação, caso ocorra o cumprimento do que foi acordado no encontro.
Os rodoviários paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira devido ao aumento no número de assaltos a ônibus em Natal. Somente neste ano, foram 427 casos, o equivalente a 251% de aumento com relação ao mesmo período do ano passado.
Volta ao trabalho: Os ônibus voltaram a circular após a paralisação iniciada nesta segunda-feira (5) em Natal. O acordo foi fechado no início da tarde depois que a governadora Rosalba Ciarlini garantiu segurança reforçada para evitar os assaltos no transporte urbano da capital potiguar. A Polícia Militar intensificará as barreiras policiais já a partir das 15h desta segunda.
“Vamos começar barreiras às 15h em pontos conhecidos de assaltos e dar continuidade ao trabalho que vinha sendo feito. O policiamento será reforçado”, afirma o comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo Silva. Ele explica que além das abordagens a ônibus, as blitzes também farão a fiscalização do trânsito da cidade.
Da parte da Polícia Civil, o delegado-geral Ricardo Sérgio informou que as investigações sobre os assaltos terão mais atenção. “Haverá foco. Vamos incrementar essas investigações”, ressalta. Os inquéritos continuarão concentrados na Delegacia Especializada de Furtos e Roubos (Defur). Ao G1, o titular da Defur, delegado Atanásio Gomes, falou sobre as dificuldades para investigar os crimes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.