Assaltos: Apenas 40% dos ônibus têm os ‘botões de pânico’

Da frota dos 713 ônibus que circulam na capital, 40%, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (Seturn), possuem câmera e “botões do pânico”. Outros 20% possuem apenas câmera e os 40% restante não tem nem um nem outro.
Apesar dos dados, o Seturn não especificou quais empresas de ônibus e quais linhas possuem os equipamentos, sob o argumento de ser orientação da polícia a não divulgação desse tipo de informação para não contribuir com a organização dos assaltantes. O Seturn também não soube contabilizar quantas vezes os botões foram acionados entre os 427 assaltos ocorridos em ônibus até o dia 5 de agosto.
Atanásio Gomes, titular da Delegacia Especial de Furtos e Roubos (Defur), falou que recebeu apenas, durantes os meses passados, as imagens das câmeras dos assaltos ocorridos em julho e de somente uma empresa. “Só recebi as imagens dos assaltos do mês passado e ainda a empresa Conceição foi a única que enviou”, disse. Os ônibus da empresa Conceição foram assaltados 13 vezes, um número muito baixo em relação aos 84 assaltos contabilizados pelo Seturn no mês de julho.
O comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo, falou que o envio das imagens é de responsabilidade das empresas. “As  imagens são de propriedade das empresas, que ficam encarregadas de levá-las até as delegacias”, disse. Já em relação ao botão de emergência,  coronel Araújo confirmou que assim que os mesmos são acionados, automaticamente os sinais vão ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp).
“Há um convênio entre a Secretaria de Segurança Pública e o Seturn. O Seturn instala as câmeras e em contrapartida a secretaria deixa o Ciosp à disposição”, disse ele.  Coronel Araújo falou ainda que não existe problema nos botões e que graças ao sistema muitos assaltos foram evitados.
Por conta da onda de assaltos, policiais militares estão fazendo desde a última segunda-feira (05) blitze em pontos estratégicos da cidade. Entre 16h e 22h de terça-feira, foram parados para revista 78 ônibus, 18 carros e 37 motos em pontos como Bernardo Vieira, Roberto Freire, Mãe Luiza e quilômetro 6 da avenida Capitão Mor Gouveia. Segundo a PM, 93 pessoas revistadas. Não houve prisões, nem apreensões.
Quintas é o bairro mais perigoso: Quintas foi a localidade que registrou o maior número de assaltos no mês de julho. Os dados são do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros (Seturn) e mostram que 14 assaltos ocorreram em ônibus das três empresas que fazem linhas no local: Guanabara, Reunidas e Conceição. O horário de ação dos bandidos varia, mas percebe-se maior concentração de assaltos entre 16h30 e 23h20. Também houve registros pela manhã, às 5h25 e às 7h10.
Nos sete primeiros meses de 2013, o número de assaltos dentro de ônibus em Natal cresceu 151,2%, em relação ao mesmo período de 2012. De janeiro a julho deste ano ocorreram 407 assaltos. No mesmo período do ano passado foram 162. Até a terça-feira, a somatória chegou a 431 assaltos. Da segunda para a terça-feira foram cinco assaltos.
No ranking dos assaltos ocorridos no mês de julho, Bom Pastor é o segundo colocado, com oito assaltos. O horário mais comum é à noite, das 19h15 até as 20h40. Assaltos também foram registrados às 16h30 e às 23h34.
A terceira localidade da lista é Jardim Lola, com sete. Assaltos ocorrerem pela manhã e à noite. Também com sete assaltos contabilizados em julho, Igapó registra maior número de assaltos pela noite, das 18h às 21h30. O bairro também teve um assalto ocorrido pela manhã, às 9h35.
Rocas é a quinta localidade com maior número de assaltos no mês de julho. Foram cinco ações de bandidos entre 20h40 e 23h, além de uma sexta, que ocorreu às 8h11. Petrópolis veio em seguida, com cinco assaltos realizados em horários bem distintos: 5h15, 14h, 15h30, 20h10 e 21h20.
Foto: Vlademir Alexandre (Tribuna do Norte)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.