Permissionários também vão comercializar bilhetes eletrônicos unificados

A implantação da bilhetagem eletrônica unificada nos transportes públicos de passageiros de Natal está em fase final de discussão. A Procuradoria Geral do Município (PGM) vai analisar o decreto esboçado pela comissão que trata sobre o assunto e, na quinta-feira (9), encaminhará o documento com as possíveis alterações. No que está pré-definido, os permissionários serão os responsáveis por arcar com os custos para implantação da tecnologia necessária para a bilhetagem.
Em reunião no último dia 02, com a presença do prefeito Carlos Eduardo,  do procurador geral do Município (PGM), Carlos Castim, do secretário Gabinete Civil, Sávio Hackradt, e da titular da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Elequicina dos Santos, os pontos pendentes sobre o projeto foram discutidos com representantes do Seturn, Sitoparn e cooperativa de permissionários dos transportes alternativos. A proposta de decreto já havia sido encaminhada ao procurador Carlos Castim, que ainda procederá a análise do documento.
“Vamos observar se há a necessidade de alterações no aspecto legal, em seguida encaminharemos à Semob, que levará ao encontro da comissão. Havendo acordo, o decreto será publicado”, explicou Carlos Castim. “Vamos agora ver o decreto que vai passar por nova avaliação e, se tudo der certo, vamos publicar logo em seguida”, disse Carlos Eduardo.
Elequicina Santos explicou que os permissionários e os concessionários terão que se adequar ao decreto depois que ele for publicado e que todos os equipamentos necessários para o funcionamento da bilhetagem eletrônica são de responsabilidade das partes envolvidas, entre eles, validadores, cartões e GPS. “Eles vão dizer quando poderão implantar a infraestrutura e a Semob terá 30 dias para fazer os testes e dar o aval de homologação para o sistema começar a funcionar”, explicou.
Além da definição quanto aos custos para a implantação da bilhetagem, também ficou definido que tanto os permissionários quanto o Seturn serão responsáveis pela comercialização dos bilhetes. Por outro lado, ainda não se definiu com quem ficará a gestão do sistema ou se será feita de forma integrada. A intenção é que ocorra uma decisão até a próxima quinta-feira, mais de três meses após a sanção da lei.
Fonte e foto: Tribuna do Norte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.