Editorial UNIBUS RN: Guerra fria ou atos isolados?

Muito bem, caro leitor. No nosso novo formato do “Editorial UNIBUS RN”, mensalmente traremos a nossa opinião a respeito de um fato importante durante aquele período. Nosso posicionamento tem como objetivo esclarecer a você, caro leitor, a nossa posição sobre aquele determinado fato.
Porém, para começar esse novo formato, não é só um assunto que vamos abordar: Serão três, mas que têm tudo a ver com o mesmo tema, que acaba por se tornar o quarto assunto deste texto: A onerosa licitação do transporte público natalense.
Tal certame, indiretamente, pode ter tido mais três capítulos em março. Todos registrados no último dia 13, no bairro das Rocas. Primeiro, o recebimento, por parte da Secretária da SEMOB, Elequicina Santos, um ofício assinado pelo SITOPARN (Sindicato que representa os permissionários do transporte opcional), de um ofício contendo uma suposta ameaça à secretária. No fim daquela tarde, o Secretário Adjunto, Clodoaldo Cabral, é agredido quando saía da SEMOB, com um forte soco no rosto. Logo após, um incêndio no terminal das Rocas destruiu um ônibus da Santa Maria. Tudo isso em um intervalo de cerca de 10 horas, com os fatos acontecendo há cerca de 1 quarteirão de distância um do outro.
Por si só tais fatos são estranhos. Em pouco tempo, três situações graves envolvendo os gestores e uma operadora do transporte público natalense já seriam suspeitos. Porém, o elo entre eles pode ser algo que vem sendo empurrado com a barriga e que foi adiado mais uma vez: a licitação do transporte urbano.
Não é surpresa para ninguém que empresários, permissionários e gestores públicos não se bicam. Enquanto os donos dos ônibus não querem largar o osso, os alternativos querem se estabelecer definitivamente no transporte. Nesse meio, os gestores tentam fazer com que eles cheguem a um acordo e nada acontece (foi assim com a bilhetagem unificada, que continua no papel). Nessa relação, é comum ataques com palavras e ações, que podem beneficiar ou prejudicar os usuários.
É uma espécie de “guerra fria” do transporte que está rolando em nossa cidade, caro leitor. Uma guerra onde o vencedor está difícil de se conhecer, mas o perdedor já sabemos: o usuário, que acompanha na imprensa tal situação e convive, no dia-a-dia, com um sistema obsoleto e que precisa de melhorias para ontem.
Infelizmente, tal guerra pode ter relação com os lamentáveis fatos ocorridos no último dia 13. Se for provado pela investigação policial que a ameaça, o soco e o incêndio estão relacionados e foram praticados por alguém do meio, infelizmente vai manchar mais ainda o já gasto transporte urbano natalense.
O UNIBUS RN se solidariza com a secretária Elequicina, com o adjunto Clodoaldo e com a empresa Santa Maria, vítimas de atos covardes e que mostram como está o clima nos bastidores do ir e vir da população. Infelizmente, quem comete esses atos tem interesses que vão além do simples gesto de proporcionar um transporte digno. Interesses obscuros, que a polícia tem a obrigação de esclarecer aos usuários e às vítimas de tamanha situação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.