Alunos da UFRN fazem protesto pela manutenção do circular no campus

O movimento dos estudantes universitários “Mais Circular, fora Seturn” em protesto contra uma eventual mudança no sistema de transporte circular no campus da UFRN, interrompeu o trânsito da avenida Salgado Filho/BR-101 por  uma hora, na noite do último dia 24. A manifestação conseguiu a adesão de pelo menos 1.500 pessoas na rede social Facebook, da internet, mas só em torno de 500 estudantes chegou à concentração ao lado do Shopping Via Direta, ao lado do conjunto Mirassol, de onde sairam às 16:53 com destino à marginal da BR-101.
De lá, os estudantes caminharam pela marginal e depois pela Salgado Filho até o Midway Mall, onde passaram dez minutos na esquina com a avenida Bernardo Vieira. Depois, os estudantes fizeram o “roletaço” de volta para a Zona Sul, que é quando os manifestam pegam o transporte coletiva e pulam a roleta ou entram pela porta traseira do ônibus sem pagar pela tarifa de transporte.
O coordenador do Diretório Central do Estudantes (DCE), Gabriel Medeiros disse que a manifestação era uma advertência para o setor de transporte coletivo, embora pela manhã, ele já tivesse a garantia de que o sistema seria mantido: “A secretária Eliquicia dos Santos afirmou que no caso das empresas retirarem o circular, a Semob iria impor sanções contra essa medida”, afirmou.
A movimentação dos estudantes foi acompanhada de perto por dez viaturas da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que orientam o trânsito. À altura do Midway três viaturas da PM faziam o policiamento preventivo contra o uso eventual de violência durante a manifestação, que foi pacífica durante todo o  percurso até à avenida Bernardo Vieira com a Salgado Filho, onde houve a dispersão por volta das 8h15.  Durante o protesto, houve apenas um incidente isolado. Um manifestante mascarado jogou pedras e quebrou duas vidraças da loja do supermercado Nordestão, na esquina da rua Antonio Basílio com a Salgado Filho.
Prefeitura garante manter linha: A comunidade universitária que usa o transporte circular para deslocamento dentro do campus, no Mirassol, chegou a um acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) quanto a manutenção do serviço. “Ficou acordado que será mantido todos os carros. A comissão da UFRN pediu o acréscimo de mais um veículo, mas condicionamos isso a um estudo de demanda que identifique a quantidade de estudantes, os horários e locais de maior fluxo”, disse a secretária Elequicina dos Santos, que recebeu, ontem de manhã, uma representação da Universidade e do Diretório Central dos Estudantes (DEC).
Elequicina dos Santos afirmou que os ônibus circulares “estão dentro do sistema como um todo, tanto do que é pago pelo usuário com a tarifa, como no sistema gratuito. Não tem como Seturn alegar que não tem como bancar”. O secretário adjunto de Transporte da Semob,  Clodoaldo Cabral, confirmou que o Seturn havia enviado um ofício sugerindo que o serviço de transporte circular passasse a ser uma atribuição dos alternativos, o que foi rejeitado pelo Sitoparn.
Cabral declarou, ainda, que a UFRN e DCE acataram a sugestão de que fosse encaminhado  pleito ao Departamento Estadual de Estradas e Rodagem (DER-RN), no sentido de que o oitavo ônibus circular solicitado pelos estudantes, pudesse ser disponibilizado pelas empresas de transporte intermunicipal, pois elas também contribuem com a demanda de estudantes oriundos, principalmente, de municípios que integram a Região Metropolitana de Natal (RMN), como Ceará-Mirim, Extremoz, Macaíba, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante.
Segundo Cabral, existe a necessidade da realização de um estudo conjunto entre o Departamento de Estatísticas da UFRN, DCE e a própria Semob, pois em virtude do sistema de transporte circular funcionar com catraca livre, “por isso não tem como auferir a demanda de usuários”.
Da reunião com a secretária Elequicina dos Santos participaram a pró-reitora de Assuntos Estudantis (PROAE), Janeusa Trindade; o superintendente de Infraestrutura (SIN) da UFRN, Gustavo Coelho; os coordenadores do DCE, Gabriel Medeiros de Miranda, Anaxágoras Lopes Vital, Daniella Araújo e Géssica Regis, além do responsável pela fiscalização de transportes da SEMOB, Rogério Leite. O superintendente de Infraestrutura da UFRN, Gustavo Coelho, esclareceu que o objetivo do encontro foi continuar a pauta de discussão sobre o transporte circular, levando em consideração que “a comunidade acadêmica cresce a cada semestre, o que demanda a melhoria do serviço”.
Para o coordenador do DCE, Gabriel de Miranda, os estudantes universitários se sentiram ameaçados com o anúncio de uma possível retirada ou cobrança do circular, por parte do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros (SETURN). O estudante pediu também o retorno das linhas tradicionais que iam até o anel viário do Campus Universitário, enquanto Géssica Regis cobrou uma discussão sobre o funcionamento do circular aos sábados e de se fiscalizar a quantidade de ônibus circulando no período noturno. “No horário da noite, há uma queda no fluxo dos ônibus”.
Elequicina dos Santos aproveitou a oportunidade para esclarecer uma informação veiculada nas redes sociais sobre o aumento da tarifa na linha de ônibus 63. “Uma equipe de fiscalização da SEMOB foi averiguar e registrou um ônibus com adesivo cobrando R$ 2,30 pela passagem, mas a empresa alegou que não estava cobrando essa quantia e que o adesivo relativo ao preço havia caído”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.