Engenhbus: K 250 – A versão de entrada da linha rodoviária da Scania

Continuando a nossa série com os chassis de ônibus Scania, a coluna Engenhbus fala hoje do chassi de entrada da linha rodoviária da marca sueca, o K 250 Versão 4X2, usado nas aplicações Intermunicipal e de fretamento.
O Motor do K250 é o Conhecido motor DC9109250, de cinco cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, totalmente eletrônico, sistema de injeção PDE, turbocompressor, intercooler, cumprindo a norma CONAMA P7 ( Nível de Emissões Euro V). A Potência Máxima é de 250 CV, atingindo 1800 RPM. O Torque Máximo é de 1150Nm entre 1000 e 1300 RPM, utilizando o controle de emissões Scania SCR, com o uso do Arla 32. A Caixa de Mudanças é da alemã ZF, modelo Ecolife, de Seis Marchas com controle eletrônico e selecionador de marchas. O K250 Tem duas relações de diferencial: 5,57:1 e 4,88:1.
A suspensão dianteira a Ar tem capacidade máxima do eixo de 7.500 kg, enquanto a suspensão traseira, também a ar, tem capacidade máxima do eixo de 12.000 kg. Além disso, o chassi tem outros itens, como elevação e rebaixamento total ELC, suspensão reforçada, sistema de ajoelhamento, proteção contra tombamento, nível de altura pré-definida do chassi e nível stand-by da suspensão.
As rodas são ao gosto do freguês. Podem ser de aço pintado ou de alumínio Polido.
O Sistema de Freios também pode ser escolhido ao gosto do cliente: Freios a tambor ou a disco nas quatro rodas, acompanhado do controle eletrônico do sistema (EBS) e o programa eletrônico de estabilidade, o conhecido ESP. Como equipamentos adicionais, são incluídos o ajustador de freios automático, válvula de segurança do freio de estacionamento (Interlook) e bloqueio de saída com as portas abertas. Independente da configuração, o sistema de freios utilizado é o Retarder ZF Incorporado, contendo as funções AIS (Desengate Automático em Parada) e Lock – Up.
Já o sistema elétrico é baseado na comunicação digital – CAN, proporcionando assim maias informações sobre o status do veículo. Existe a opção de escolha pelo cliente da amperagem do alternador vindo nas opções 2 X 100 A ou 2 X 150 A. As baterias podem ser de  140 ou 180 Amperes, além da chave Geral que fica localizada no painel do condutor.
Na área do motorista por sua vez, o condutor dispõe de um moderno computador de bordo, com seus devidos itens de conforto:
– Dados Sobre a Viagem – (Distância, Velocidade, Consumo e Tempos de Operação);
– Dados Instantâneos – (Consumo, Pressão de Óleo, Freio e Turbina e Tensão da Bateria);
– Mensagens de Advertência;
– Indicação de Manutenção Futura;
– Tacógrafo (Com Discos de 1 a 7 Dias).
Por fim, na parte de climatização, há a disponibilidade da Polia extra para o sistema de ar condicionado, que é de 280 mm e da válvula de calefação. Assim, o ônibus que contar com esse chassi poderá contar com as melhores marcas do mercado.
Terminamos aqui mais uma edição da coluna “Engenhbus”. Brevemente, traremos mais novidades para você que gosta dos detalhes técnicos sobre os ônibus – desta vez, sobre carrocerias. É só aguardar.
Por Fellipe Lima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.