STTU avalia mudar trânsito da Ribeira

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana avalia alterar o traçado do trânsito no entorno da Praça José da Penha, próximo a Igreja Bom Jesus das Dores, na Ribeira. O objetivo é ampliar o calçadão entre a praça e a igreja, conferindo maior espaço e segurança aos pedestres. Caso a proposta seja aprovada, um trecho de 40 metros da Av. Rio Branco será interditado para o tráfego de veículos. Os estudos de viabilidade ainda não foram concluídos, mas a fase de testes está em curso com a abertura de um novo acesso para a Av. Duque de Caxias, a instalação de placas de sinalização proibindo o estacionamento na Rua General Glicério, e mudanças na sincronia dos semáforos que controlam o cruzamento da Rio Branco com a Rua General Gustavo Cordeiro de Farias.
Foto: Magnus Nascimento/Tribuna do Norte
Segundo o arquiteto e urbanista Carlos Milhor, do setor de projetos viários do Departamento de Engenharia de Trânsito (DET/STTU), “a ideia inicial é fechar de vez, mas antes precisamos considerar todas as variáveis para evitar retenção de veículos naquela região. O semáforo, por exemplo, já está trabalhando como se aquele trecho da Av. Rio Branco já estivesse fechado para o tráfego. Aos poucos estamos implantando as mudanças para as pessoas irem se acostumando”, explicou.
Milhor adiantou que a STTU fará uma simulação para verificar o comportamento do trânsito: “Ia ser no início desta semana, mas o trânsito no local é bem intenso logo no início da manhã e resolvemos adiar. Qualquer mudança no tráfego, quando feita de forma equilibrada, é assimilada pelos motoristas em 10, 15 dias, por isso a necessidade de um estudo definitivo antes de qualquer intervenção viária”. A Secretaria não definiu uma data para a simulação o novo traçado no trânsito ser adotada.
Um dos pontos que exige atenção redobrada do Departamento de Engenharia de Trânsito da STTU, de acordo com o arquiteto e urbanista, é a capacidade de vazão do fluxo de veículos que chega pela Av. Rio Branco com o fluxo que desce pela Rua General Gustavo Cordeiro de Farias (no sentido Maternidade Januário Cicco – Ribeira). Para Carlos Milhor o grande desafio é equacionar esse fluxo de modo a evitar a retenção e a formação de engarrafamentos. “Temos várias linhas de ônibus passando por ali, e precisamos pensar também em alternativas viárias para quem deseja acessar, por exemplo, a Ponte Newton Navarro passando pela Ribeira e Rocas; ou o Banco do Brasil, a própria STTU, a Codern e outros órgãos públicos que funcionam no bairro. Por isso nada é definitivo ainda”, destacou.
O setor de projetos viários da STTU também realiza estudos na sincronia do semáforo que fica no cruzamento da Av. Sen. Salgado Filho (BR-101) com a Av. Amintas Barros. A meta é dar maior fluidez ao tráfego intenso que chega pela rodovia, que irá se tornar uma via expressa após a conclusão das obras previstas (viadutos e passagens inferiores) na BR-101 entre Natal e Parnamirim. “É o primeiro sinal dentro da zona urbana no sentido centro de Natal, e nossa meta é reduzir a retenção de veículos nesse cruzamento específico”, disse Carlos Milhor.
A STTU também estuda a implementação de novos binários em Natal, e os estudos mais avançados envolvem a proposta de combinar o fluxo da Av. Jaguarari com o da Rua São José. “Esse é o principal binário em estudo, mas temos outros no Alecrim ainda em fase inicial de planejamento”. Ele ressalta que há um “excesso de veículos” nas ruas e que a implantação de ciclovias e faixas exclusivas de ônibus visam tornar esses modais de mobilidade mais atrativos para a população. “É importante incentivar alternativas de mobilidade para realizar pequenos deslocamentos”, aponta o urbanista.
Tribuna do Norte
Compartilhe esta matéria

Administração UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *