Governo precisa subsidiar a tarifa do transporte, diz presidente da Fetronor

O presidente da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste (Fetronor), Eudo Laranjeiras, afirmou que o Poder Público – seja a Prefeitura de Natal ou o Governo do Estado – precisa subsidiar parte da tarifa do transporte público de Natal. A medida, segundo ele, aliviaria o bolso do usuário na hora de pagar a passagem.
Ilustração/UNIBUS RN
“No Brasil, há apenas três lugares onde as tarifas são subsidiadas efetivamente: São Paulo, que paga 50% da tarifa; Brasília que dá 40% e Recife, que se compromete com cerca de 23% da passagem. Mas o Poder Público daqui está quebrado, sem dinheiro”, apontou Laranjeiras em entrevista ao programa “Agora é Show”, da Agora FM (97,9).
Piso baixo, ar-condicionado e Wi-Fi são alguns dos serviços que a população natalense tem pedido que sejam integrados ao transporte público. Eudo, porém, afirma que quanto mais incrementos, maior será a tarifa a ser paga. Por isso, o subsídio do Poder Público seria imprescindível. Atualmente, ele crê que essas melhorias não sejam possíveis sem que o preço da passagem aumente de forma exponencial.
“Precisamos que o transporte seja visto como solução, não problema. Falta aos gestores dizer o que fazer e como fazer. Quem define itinerário e a quantidade de ônibus é o Poder Público, mas o custo é rateado por quem paga, e isso é o erro”.
Recentemente, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (Seturn), enviou ofício à Prefeitura de Natal solicitando um reajuste no preço da passagem. A categoria pede que a a tarifa suba de R$ 3,65 para R$ 3,90. Para Eudo, o aumento é necessário.
“O reajuste é necessário para que as empresas se mantenham vivas. É o passageiro que sustenta as gratuidades, e somando-se ao fato de que os aplicativos de transporte estão tirando o passageiro em viagens de curta distância, tudo isso vai encarecer a passagem. A empresa só se sustenta se houver tarifa para mantê-la viva, não é um serviço gratuito”, disse.
Enquanto a Prefeitura decide se atende ou não a demanda do Seturn, a população se mantém na expectativa da realização de um novo processo de licitação. Em menos de dois anos, foram duas tentativas – ambas deram desertas. Em dezembro do ano passado, a Câmara de Natal aprovou um novo projeto. Ele foi sancionado pelo prefeito Álvaro Dias (MDB), que vetou quatro pontos que ainda serão analisados pelo Legislativo municipal.
“As licitações vão dar sempre desertas, se continuarem com essas bobagens de colocarem coisas que o passageiro não pode pagar, a não ser que haja esse subsídio”, opinou Eudo Laranjeiras.
Agora RN
Compartilhe esta matéria

Administração UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *