Mudança no vale-transporte de SP aumenta em 41% o número de passagens pagas com o serviço, diz pesquisa

A mudança imposta pela Prefeitura de São Paulo no vale-transporte mudou a rotina de trabalhadores e de todo o sistema de transporte coletivo, segundo uma pesquisa do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) a partir de dados da SPTrans.
Foto: Rovena Rosa/Arquivo/Agência Brasil – Ilustração/UNIBUS RN
Desde que a Prefeitura diminuiu o número de embarques de quatro para dois com uma única tarifa, o trabalhador passou a pagar mais para ir ou voltar do trabalho. Em março, o número de passagens pagas com vale transporte aumentou 41% em relação a fevereiro. No ano passado, esse aumento foi bem menor: 15%. Isso porque muita gente está passando duas vezes o vale para conseguir chegar ao destino.
Desde 1º de março, os usuários do vale-transporte de São Paulo (valor pago por empregadores a seus funcionários) têm três horas para fazer até dois embarques nos ônibus municipais da SPTrans, pagando tarifa única de R$ 4,30. Até então, o vale-transporte permitia que o passageiro embarque em até quatro ônibus no período de duas horas.
Entre fevereiro e março deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, o uso do vale transporte aumentou em algumas linhas de ônibus como:
Shopping Portal – Terminal Morumbi, com alta de 247%.
Barra Funda – Bom Retiro, aumento de 236%.
Terminal Sacomã – Metrô Santa Cruz, aumento de 136%.
Essas linhas fazem trajetos que poderiam ser feitos usando também o trem e o metrô.
O trajeto Barra-Funda-Bom Retiro poderia ser feito de Metrô, com as linhas amarela, azul e vermelha, mas como agora só dá para fazer duas viagens em três horas, então o Idec conclui que os trabalhadores estão mudando o caminho por uma questão de economia.
Além disso, quem mora nas regiões mais periféricas da cidade, na zona leste e sul, e que precisa fazer trajetos mais longos são os mais afetados já que precisam fazer mais de duas integrações pra chegar no serviço.
Desde que a medida entrou em vigor, pelo menos quatro passageiros conseguiram na justiça o direito de voltar às regras antigas do vale-transporte.
Enquanto isso, a maioria dos passageiros continua se virando e tentando economizar.
Nesta terça-feira (30), uma audiência pública na Câmara Municipal discute a questão da mudança no vale-transporte.
A Prefeitura disse, novamente, que não cabe ao município arcar com custos que, por lei, são de responsabilidade do empregador.
G1 SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.