O uso do itinerário lateral nos ônibus de Natal – Parte III

Na atualidade,
empresas não têm tanta atenção ao item

A falta de organização do transporte por parte do órgão
gestor de Natal, a STTU (Secretaria de Mobilidade Urbana) que, nos últimos
anos, não têm delimitado regras para a padronização de itens dos ônibus municipais,
contribuiu em muito para a falta de atenção das próprias empresas para o uso do
itinerário lateral.
Apesar de constar no padrão municipal – muito mais por uma
condição histórica, como já exposto nesta série especial apresentada pelo
Portal UNIBUS RN – atualmente há uma mistura na implantação e uso do itinerário
lateral, ou até mesmo do não uso, como ocasionalmente ocorre em alguns
veículos das mais diversas empresas.
De todo modo, os veículos da frota municipal permanecem com
o itinerário lateral, porém, em posições e condições que variam bastante.
A mudança começou, efetivamente, ainda em meados dos anos
2008, quando a empresa Guanabara, maior operadora de Natal, passou a adotar
adesivos laterais, ao invés de placas. Logo, os adesivos foram colados por cima
das caixas de itinerário de lona.
Ao mesmo tempo, outras empresas continuavam utilizando
placas nas laterais dos ônibus mais antigos que não tinham o itinerário lateral
de lona (ou digital), e nem foram adaptados. O mesmo passou a valer para ônibus
mais novos que por algum motivo vieram sem o itinerário na lateral.
No caso da Guanabara, quando a empresa foi vendida para o
grupo Metropolitana, de Pernambuco, e passou a receber, em todos os últimos
anos desde 2011 – ano da venda – veículos vindos das empresas operadoras de linhas
na grande Recife, lugar onde não são utilizados itinerários laterais, o adesivo lateral
se tornou um padrão para todos os veículos repassados para Natal.
Já os ônibus vindos de fábrica se mantiveram com o
itinerário digital lateral, na primeira janela, seguindo padrão inaugurado em
2009 – o mesmo valeu para praticamente todas as demais empresas, na maioria das compras ocorridas de 2009 até hoje, com poucas exceções.
Em relação a empresa Guanabara, é válido destacar que a mudança em relação a compra de veículos novos com itinerário lateral ocorreu na mais recente compra da empresa, o carro 1992, que
foi divulgado na última semana.
O mais novo Torino da Guanabara saiu da fábrica da Marcopolo
sem o itinerário lateral digital. Não há confirmação se foi um erro de produção
da montadora, ou solicitação da empresa para que o desuso do item comece a
prevalecer, optando por adesivos também nos veículos vindos de fábrica.
Foto: Divulgação/WhatsApp
Nos últimos anos, a Guanabara demonstrou ter tanta preferência pelo adesivo, que retirou a caixa de itinerário de lona do itinerário lateral de dois veículos, que tinham o item de fábrica, desde sua fabricação, em 2008. Um ônibus do modelo Viale, e outro do modelo Torino, perderam o itinerário na lateral lonado, substituído pelo adesivo.
Além deles, um veículo que veio de fábrica com o itinerário digital lateral, também perdeu o item, e apesar de ter recebido a estrutura para a fixação de placa lateral – ou mesmo dos adesivos utilizados pela empresa – circula sem qualquer informação lateral. Trata-se do carro 1101, fixo da linha 23-69 (Felipe Camarão/Alecrim). O ônibus do modelo Foz Super foi comprado originalmente pela Oceano em 2011, e repassado a Guanabara recentemente.
Foz Super da Guanabara recebeu adaptadores para a placa lateral, mas o uso não se concretizou
A opção pelo adesivo contribui para que veículos circulem sem as informações laterais, fato que ocorre nas operações da empresa.
E por falar em Oceano, a empresa que pertence a Guanabara e opera linhas da região metropolitana, seguiu o mesmo padrão da empresa
proprietária no tocante ao uso do itinerário lateral e implantação dos
adesivos. Como a maioria da sua frota já é composta por ônibus usados de
Pernambuco, praticamente todos os veículos operam com adesivos nas laterais,
indicando aos usuários a linha e principais pontos daquela operação.
Nas empresas Cidade do Natal, Cidade das Dunas e Via Sul
estão os melhores exemplos do uso do itinerário lateral: praticamente toda a
frota se mantém com o item, tanto nos veículos antigos, que vieram de fábrica
com o itinerário de lona, como nos mais novos, com itinerário lateral digital,
e até mesmo nos ônibus usados – todos do Rio de Janeiro, que também utilizam o
itinerário lateral – que foram reaproveitados e são utilizados nas operações
locais.
Aliás, no caso da Via Sul, desde a compra de ônibus usados do Rio de Janeiro em 2006, que tinham a caixa de itinerário de lona próximo à porta traseira – uma
vez que as operações iniciais tinham embarque pela porta traseira do ônibus, no
sistema carioca – a empresa reformou os veículos e readequou a caixa de lona
para próximo da porta dianteira, junto ao embarque do sistema local.
Quem também, historicamente, sempre optou por reformar os
veículos comprados de sistemas com embarque na porta traseira, e aplicar o
itinerário lateral junto à porta dianteira, foi à empresa Nossa Senhora da
Conceição. A mudança ocorreu em 2011, quando teve parte das ações vendidas para
empresas pernambucanas, e, semelhante à Guanabara, recebeu veículos vindos de
Pernambuco, sem o itinerário lateral.
Com isso, a empresa optou por utilizar as plaquinhas, que
ganharam vez na frota. Aliás, as placas ganharam tanta vez na empresa, que um dos casos mais
recentes, nos ônibus comprados da empresa Vitória, da região metropolitana de
Fortaleza, no Ceará, o itinerário lateral de lona junto à porta traseira não
foi aproveitado pela Conceição – tendo sido substituído pela placa lateral
junto à porta dianteira, de embarque.
Já nas empresas Santa Maria e Reunidas, que pertencem ao
mesmo grupo empresarial, e que historicamente também repassam veículos
especialmente de João Pessoa – sistema que até um período recente também tinha
embarque pela porta traseira – os ônibus também recebiam reformas para a
inclusão da caixa de itinerário para próximo da porta dianteira.
Com o advento do itinerário lateral digital, no padrão
utilizado em Natal desde 2007, as empresas criaram, por conta própria, uma
caixa de lona interna, e fixaram nos veículos no mesmo local onde o itinerário digital
fica localizado, deixando de lado a proposta de “arrastar” a caixa de itinerário na
lataria dos ônibus.
A proposta permitiu até mesmo que alguns veículos da
Reunidas ficassem com duas caixas de itinerário, já que a empresa não retirou a
caixa de itinerário de lona junto à porta traseira na carroceria, mas instalou a
caixa de itinerário de lona interna, como no padrão itinerário digital lateral.
As empresas são também as únicas viações locais que
fizeram a migração dos itinerários digitais laterais internos, fixados nas
janelas. A migração do local do itinerário digital lateral nos primeiros casos
tornou sem efeito a janela produzida nas carrocerias Marcopolo (Viale e Torino)
adaptadas para o item, junto a porta traseira.
Já em um caso específico, com veículos do modelo Torino
vindos de João Pessoa para Natal, as empresas inverteram as janelas, de modo
que o espaço para as janelas adaptadas para o itinerário pudessem também ser reaproveitado.
A migração fez surgir os únicos modelos com itinerário digital numa janela localizada
quase no meio do ônibus. Eles são os únicos veículos que não têm o itinerário lateral
digital interno, localizado na segunda janela do ônibus – e não na primeira
janela, próximo a porta de embarque. Ainda assim, a visibilidade próxima ao
embarque não afeta demasiadamente os usuários que buscam as informações
repassadas no item auxiliar.
Já alguns dos mais recentes ônibus da empresa Reunidas, incluídos
na frota no início deste ano, também vindos de João Pessoa, se mantiveram com o
itinerário lateral próximo a porta traseira. São os primeiros – e únicos –
desta maneira no sistema local.

O Portal UNIBUS RN questionou a STTU se o órgão autorizou
que os ônibus circulassem desta maneira. Em nota, a Secretaria informou que
solicitou a mudança do local do itinerário lateral para próximo da porta de
embarque, mas foi concedido um prazo para que a empresa fizesse a mudança, uma
vez que os veículos precisavam entrar em operação e substituir ônibus mais
antigos.
No início desta série de publicações sobre o itinerário lateral,
todos os veículos da empresa Reunidas que vieram de João Pessoa para Natal este
ano tinham o itinerário digital lateral junto a porta traseira, porém, já nesta III edição da matéria, após a solicitação de informações e esclarecimentos à STTU sobre o
caso pelo Portal UNIBUS RN, pelo menos um dos ônibus já foi reformado: o veículo 0809 já se encontra
com o itinerário lateral repassado para próximo a porta da frente, de embarque,
alinhando o propósito de contribuir com informações da linha aos usuários.
Fotos: Acervo UNIBUS RN / Ônibus Brasil
Compartilhe esta matéria

Administração UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *