As principais mudanças nas linhas urbanas de Natal

Nas três últimas semanas, o Portal UNIBUS RN apresenta, na
matéria especial de domingo, a evolução dos códigos das linhas urbanas de
Natal. Hoje, como tema complementar, nós vamos apresentar todas as linhas
criadas, e as mudanças ocorridas nas linhas urbanas de Natal, desde a
implantação do último sistema de códigos, ocorrida em 1990.

Você acompanhou, aqui no UNIBUS RN, como se processou o uso
dos códigos das linhas urbanas aqui em Natal, além das condições existentes em
cada sistema. No primeiro, códigos sequenciais de 100 a 130. Depois, códigos de
acordo com a área de operação da linha e seu destino final. E por último, a
ordem sequencial que, inicialmente, ia de 01 a 58, com linhas divididas por
cores.
Especialmente a partir dos anos 2000, o uso da sequência
correta das linhas e da divisão por cores começou a deixar de ser utilizada
corretamente, motivado pela união de linhas e fatores como o uso do itinerário
eletrônico digital (substituindo as lonas que exibiam as linhas com as devidas
cores), e até mesmo das lonas que tiveram de ser padronizadas com o fundo preto
e cor das letras em verde (ou amarelo), seguindo uma norma da Associação
Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
Tudo isso contribuiu para que os critérios que anteriormente
organizavam a distribuição das linhas, não mais fossem considerados, levando a
modificação de diversas linhas, união delas com outras e até sua extinção. Como
resultado das mudanças sem tanta organização por parte do órgão gestor, a STTU
(Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal) – que poderia, por exemplo,
distribuir um novo código para uma linha que se funde com outra, sendo algo que
já havia ocorrido, como mostraremos nesta matéria – levou ainda a operação de
linhas com códigos de numeração diferente, se diferenciando da maioria das
linhas e demonstrando que não há um cuidado na organização das linhas urbanas.
Desde a implantação do sistema sequencial e de cores até os
dias atuais, as linhas, suas empresas operadoras e as principais mudanças delas
são as seguintes:
01 – Gramoré/Cidade da Esperança
Empresa: Guanabara
Mudanças: Teve o terminal modificado para o bairro de Cidade
da Esperança, na zona oeste, e foi desmembrada em duas linhas com trajetos
inversos, tendo se tornado:
01A – Cidade da Esperança/Parque dos Coqueiros
01B – Cidade da Esperança/Gramoré
02 – Gramoré/Campus
Empresa: Guanabara
Mudanças: Tornou-se Gramoré/Mirassol. Atualmente, atende o
Campus em determinadas viagens.
03 – Nova Natal/Campus
Empresa: Riograndense
A linha foi extinta com o fim das operações da empresa
Riograndense, ocorrido em agosto de 2012.
04 – Amarante/Campus
Empresa: Guanabara
Mudanças: Tornou-se Amarante/Mirassol, tendo deixado de
atender ao Campus da UFRN.
05 – Igapó/Rocas
Empresa: Guanabara
Mudanças: Tornou-se Vale Dourado/Ribeira.
06 – Amarante/Petrópolis
Empresa: Guanabara
A linha foi extinta, e repassa ao sistema intermunicipal,
sofrendo mudanças de itinerários e se tornando a 173 – Regomoleiro/Ribeira.

07 – Soledade I/Rocas
Empresa: Guanabara
Mudanças: Tornou-se Alvorada IV/Campus, e passou a ser
operada, inicialmente, pela empresa Pirangy e posteriormente pela Reunidas –
empresa que segue responsável pela operação da linha. Durante um determinado
período, teve seu trajeto estendido até o bairro de Ponta Negra. Atualmente,
ganhou uma subdivisão, “07A”, que indica um itinerário diferente na
zona norte, próximo ao bairro do seu terminal.
08 – Santa Catarina/Ribeira
Empresa: Guanabara
Mudanças: Tornou-se Redinha/Campus, e posteriormente Redinha/Mirassol,
deixando de atender ao Campus.

09 – Santarém/Rocas
Empresa: Pirangy
A linha foi extinta. Inicialmente, recebeu a subdivisão
“09A”, que modificada o itinerário no Centro de Natal para atender o
bairro de Petrópolis, que posteriormente, tornou-se a linha 78, unificando seu
trajeto com a 09.
10 – Nova Natal/Rocas
Empresa: Guanabara
Mudanças: Fundiu-se com a linha 29, se tornado “10-29 –
Nova Natal/Campus, via Nova Descoberta”, modificando seu trajeto para a
zona sul, na tentativa de suprir a falta das linhas 03 e 28, que ligavam o
bairro do Nova Natal à zona sul e deixaram de ser operadas com o fim da atuação
urbana da empresa Riograndense. Atualmente, a linha é operada em conjunto entre
as empresas Guanabara (operadora original da linha 10) e Reunidas (operadora
original da linha 29).
11 – Gramoré/Rocas
Empresa: Guanabara
Mudanças: Fundiu-se com a linha 17, se tornando “11-17
– Gramoré/Petrópolis”, e unificando a ligação entre o bairro e o Centro de
Natal. Mais tarde, com a fusão da linha com a 78, o trajeto 11 foi extinto,
tendo restado a “17-78”.
12 – Soledade I/Ribeira
Empresa: Guanabara
Mudanças: Fundiu-se com a linha 14, se tornando “12-14
– Soledade I/Ribeira”.
13 – Redinha/Rocas
Empresa: Guanabara
Mudanças: Tornou-se Redinha/Petrópolis. Após a inauguração
da Ponte Newton Navarro, que liga a Redinha ao bairro de Santos Reis, a linha
foi dividida em 13A e 13B, com trajetos inversos com ida pela Ponte Newton
Navarro e volta pela Ponte de Igapó, e ida pela Ponte de Igapó e volta pela
Newton Navarro. Nas viagens noturnas, a linha retorna ao itinerário único, com
o código “13”, e operação única pela Ponte de Igapó.

14 – Soledade I/Ribeira
Empresa: Guanabara
Mudanças: Fundiu-se com a linha 12, se tornando “12-14
– Soledade I/Ribeira”.
15 – Pajuçara/Ribeira
Empresa: Guanabara
Mudanças: Fundiu-se com a linha 16, se tornando “15-16
– Pajuçara/Petrópolis”.
16 – Pajuçara/Alecrim
Empresa: Guanabara
Mudanças: Inicialmente teve seu trajeto estendido até o
bairro de Petrópolis, e posteriormente fundiu-se com a linha 16, se tornando
“15-16 – Pajuçara/Petrópolis”.

17 – Gramoré/Alecrim
Empresa: Guanabara
Mudanças: Inicialmente teve seu trajeto estendido até o
bairro de Petrópolis, e posteriormente fundiu-se com a linha 11, se tornando
“11-17 – Gramoré/Petrópolis”. Mais tarde, recebeu uma nova união,
agora com a linha 78, se tornando “17-78”, englobando o trajeto da
linha que foi extinta, e passando a ter a operação conjunta com a empresa
Reunidas. Curiosamente, no início deste ano, a linha deixou de atender a parte
do bairro do Santarém (que justificava o código 78, antiga linha que saia do
bairro), tendo seu itinerário retornado a quando era a linha 11-17.

18 – Bairro Nordeste/Campus
Empresa: Pirangy
Mudanças: As mudanças da linha 18 são de empresa, já que ela
já foi operada tanto pela Pirangy, quanto pela Nossa Senhora da Conceição –
atualmente é de responsabilidade da Guanabara – e de horários, já que a linha
foi reduzida significativamente, operando atualmente em apenas 2 horários, um
pela manhã, e outro a noite.
19 – Rodoviária/Rocas
Empresa: Guanabara
A linha contava com a subdvisão “19A”, que era
Rodoviária/Petrópolis, modificando seu trajeto no Centro. Mas a alteração foi
extinta.
20 – Cidade da Esperança/Rocas
Empresa: Guanabara
21 – Areia Preta/Felipe Camarão
Empresa: Nossa Senhora da Conceição
Mudanças: O terminal da linha foi invertido para Felipe
Camarão.
22 – Felipe Camarão/Rocas
Empresa: Nossa Senhora da Conceição
Mudanças: Fundiu-se com a linha 71, se tornando “22-71
– Felipe Camarão/Rocas, via Petrópolis”.
23 – Jardim América/Rocas
Empresa: Guanabara
Mudanças: Fundiu-se com a linha 69 e passou por mudanças nas
operações na região de Felipe Camarão, se tornando “23-69”, e sendo
operada em conjunto com a empresa Nossa Senhora da Conceição.

24 – Areia Preta/Vila São José
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: A linha 24 passou por consideráveis mudanças,
tanto de trajetos, quanto de empresas operadoras. O trajeto inicial, operado
pela empresa Cidade do Sol, foi alterado para “Pitimbi/Ribeira, via Av.
Prudente de Morais”, que passou a ser operado pela Cidade das Dunas – uma
das sucessoras da Cidade do Sol. A empresa deixou de operar a linha devido a
baixa demanda, e a Santa Maria passou a fazer o trajeto – mais tarde, estendendo
a linha até o Planalto, trajeto que é feito até hoje. Ao deixar de operar a 24,
a Cidade das Dunas retomou as operações do itinerário original, de Areia Preta
até a Vila São José, passando a utilizar o código 57, que ficou vazio após o
fim da operação original da linha.
25 – Bairro Nordeste/Rocas
Empresa: Guanabara
Mudanças: Teve o itinerário modificado, deixando de atender
ao bairro das Rocas, e passando a atender a Petrópolis, na região central de
Natal.
26 – Soledade I/Campus
Empresa: Pirangy
Mudanças: Após a operadora responsável Pirangy ser vendida e
se tornar a Reunidas, a linha teve o itinerário estendido até o bairro de Ponta
Negra. Neste ano, a mudança deixou de valer aos domingos e feriados, com a
linha retornando em Mirassol.

27 – Soledade I /ETFERN
Empresa: Pirangy
Mudanças: A linha tornou-se Alvorada IV/Ribeira. Atualmente,
ganhou uma subdivisão, “27A”, que indica um itinerário diferente na
zona norte, próximo ao bairro do seu terminal.
28 – Nova Natal/ ETFERN
Empresa: Riograndense
A linha foi extinta com o fim das operações da empresa
Riograndense, ocorrido em agosto de 2012.
29 – Santarém/Campus
Empresa: Pirangy
Mudanças: Tornou-se Soledade I/Campus. Posteriormente,
fundiu-se com a linha 10, se tornado “10-29 – Nova Natal/Campus, via Nova
Descoberta”, passando a operar no bairro do Nova Natal. A adaptação foi
uma tentativa de suprir a falta das linhas 03 e 28, que ligavam o bairro do
Nova Natal à zona sul e deixaram de ser operadas com o fim da atuação urbana da
empresa Riograndense. Atualmente, a linha é operada em conjunto entre as
empresas Guanabara e Reunidas – sucessora da Pirangy.

30 – Cidade da Esperança/Campus, via Candelária
Empresa: Pirangy
Mudanças: Teve seu itinerário modificado para o bairro de
Felipe Camarão, e passou a ser operada pela empresa Conceição. Ganhou ainda uma
divisão, “30A”, que atende a determinada área do bairro de Felipe
Camarão.

31 – Cidade da Esperança/Campus, via Neópolis
Empresa: Pirangy
Mudanças: Teve seu itinerário modificado para o bairro de
Felipe Camarão, e passou a ser operada pela empresa Conceição. Ganhou ainda uma
divisão, “31A”, que atende a determinada área do bairro de Felipe
Camarão.
32 – Cidade da Esperança/Cidade Satélite
Empresa: Cidade do Sol
A linha foi extinta em 2005, quando a empresa Santa Maria,
sucessora da Cidade do Sol, deixou de operá-la, possivelmente por baixa
demanda.
33 – Cidade Satélite/Nova Descoberta
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: O trajeto foi modificado, se tornando Cidade
Satélite/Praia do Meio. Houve também mudança na empresa operadora, que se
tornou a Cidade das Dunas (e posteriormente a Cidade do Natal). A linha também
foi estendida até o bairro Planalto, e atualmente é uma das principais linhas
de Natal, fazendo o trajeto Planalto/Praia do Meio, via BR-101/Mãe Luíza.
A linha também recebeu outras duas linhas desmembradas a
partir dela, como sendo alterações em seu itinerário:
33A – Planalto/Mãe Luíza, via Av. Sen. Salgado Filho
33B – Planalto/Lagoa Seca, via Midway Mall.
Tanto a 33A, quanto a 33B, são operadas em conjunto entre as
empresas Cidade do Natal e Santa Maria.

34 – Cidade da Esperança/Rocas
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: A linha passou por pequenas mudanças, estendendo a
origem seu itinerário até o bairro vizinho Cidade Nova, e reduzindo a operação
até a Ribeira. A operação é da empresa Santa Maria – uma das sucessoras da
Cidade do Sol.
35 – Candelária/Rocas
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: A linha, que tinha seu terminal no bairro das
Rocas, teve seu itinerário estendido até a zona norte, se tornando “35 –
Soledade I/Candelária”. Todo o itinerário original antigo foi mantido,
havendo uma extensão até o bairro do Soledade I, pela ponte Newton Navarro.
Além disso, também houve mudança na empresa operadora: a Santa Maria, que
operava a linha após o fim da Cidade do Sol, deixou de ser a responsável, tendo
se tornado a Reunidas a nova operadora. Ambas empresas pertencem ao mesmo grupo
empresarial, mas a garagem da Reunidas fica localizada na zona norte, sendo
mais próxima do terminal da linha. Com a mudança, as empresas concentram suas
operações numa única área.
36 – Brasília Teimosa/Nova Cidade
Empresa: Cidade do Sol
Atualmente, é a Santa Maria responsável pela operação da
linha.
37 – Cidade Satélite/Rocas, via Praça
Empresa: Cidade do Sol
Atualmente, é a Santa Maria responsável pela operação da
linha.

38 – Cidade Nova/Areia Preta
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: A principal mudança da linha é sua extinção até o
bairro do Planalto, onde fica localizado seu terminal atualmente, bem como a
redução do trajeto até a Praia do Meio, sendo “38 – Planalto/Praia do
Meio, via Av. 6”. A Santa Maria é a empresa responsável pela operação da
linha.

39 – Cidade da Esperança/Ribeira, via Tirol
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: A linha passou por pequenas mudanças, estendendo a
origem seu itinerário até o bairro vizinho Cidade Nova, se tornando “39 –
Cidade Nova/Ribeira, via Tirol”. A operação é da empresa Santa Maria – uma
das sucessoras da Cidade do Sol.

40 – Mãe Luíza/Rodoviária
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: A linha teve o terminal modificado para a zona
oeste, no bairro de Cidade Nova, se tornando “Cidade Nova/Mãe Luíza”.
Posteriormente, foi estendida até o Planalto, trajeto que faz atualmente. Após
o fim da empresa Cidade do Sol, a operação da linha foi continuada pela Cidade
das Dunas – e posteriormente, Cidade do Natal.
41 – Cidade Nova/Ribeira
Empresa: Nossa Senhora da Conceição
As principais mudanças da linha 41, são a criação de linhas
a partir dela, como sendo alterações em seu itinerário:
41A – Leningrado/Ribeira, via Av. Prudente de Morais
41B – Leningrado/Alecrim, via Av. Jaguarari
Tanto as linhas 41A como a 41B são operadas em conjunto
entre as empresas Conceição, Santa Maria e Cidade do Natal.
42 – Candelária/Rocas
Empresa: Cidade do Sol
A linha foi extinta em 2005, quando a empresa Santa Maria,
sucessora da Cidade do Sol, deixou de operá-la, possivelmente por baixa
demanda.
43 – Candelária/Praia do Meio
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: Fundiu-se com a linha 64A, se tornando
“64A-43”, e passou a operar a partir da zona norte, com terminal no
bairro do Nova Natal. Ao sair da zona norte, a linha adentra o trajeto original
da 43, atendendo ao Centro de Natal até o bairro de Candelária. Com a união, a
operação passou a ser feita conjuntamente entre as empresas Santa Maria (antiga
responsável da 43) e Guanabara (responsável pela linha 64).

44 – Cidade Satélite/Rocas, via Alecrim
Empresa: Cidade do Sol
Atualmente, é a Santa Maria responsável pela operação da
linha.
45 – Brasília Teimosa/Campus
Empresa: Riograndense
A linha foi extinta com o fim das operações da empresa
Riograndense, ocorrido em agosto de 2012.

46 – Ponta Negra/Ribeira
Empresa: TransFlor
Mudanças: A operação da linha foi repassada, inicialmente, à
empresa Pirangy. Posteriormente, a Reunidas se tornou responsável pela linha,
após comprar a Pirangy. E mais recentemente, a operação foi repassada para a
Santa Maria – já que as empresas Santa Maria e Reunidas pertencem ao mesmo
grupo empresarial, mas a garagem da Santa Maria fica localizada na zona sul,
sendo mais próxima do terminal da linha. Com a mudança, as empresas concentram
suas operações numa única área.
47 – Santos Reis/Nova Descoberta, via Praça
Empresa: TransFlor
Mudanças: Houve mudança na empresa operadora. Da TransFlor,
a linha foi repassada para a Pirangy, e posteriormente, durante a compra da
Pirangy pela Reunidas, já naquela ocasião o grupo responsável pelas empresas,
repassou a 47 para a Santa Maria, pela proximidade da garagem da empresa. Mais
tarde, também houve mudança no código da linha e alteração do itinerário, tendo
se fundido com a linha 78A, se tornando “78A-47”. Na prática, houve
junção com parte do itinerário da 78A, e a linha passou a ter seu terminal no
bairro do Santarém, na zona norte de Natal. Ao cruzar a ponte Newton Navarro, a
linha retoma o itinerário da 47 e segue o itinerário até o bairro de Nova
Descoberta. A partir da mudança, uma nova alteração na empresa operadora da
linha aconteceu: agora foi a Reunidas (responsável pela 78A) que assumiu a
linha, e segue na operação até os dias atuais.
48 – Santos Reis/Campus, via Alecrim
Empresa: TransFlor
Mudanças: A linha foi repassada para a Pirangy, e
posteriormente, durante a compra da Pirangy pela Reunidas, já naquela ocasião o
grupo responsável pelas empresas, repassou a 48 para a Santa Maria, pela
proximidade da garagem da empresa.
49 – Santos Reis/Nova Descoberta, via Alecrim
Empresa: TransFlor
A linha foi extinta durante a compra da Pirangy pela
Reunidas, quando a empresa deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda
e sobreposição de itinerário com a linha 48.

50 – Neópolis/Rocas
Empresa: TransFlor
Mudanças: A linha 50 passou por uma significativa mudança de
itinerário em 1998, quando modificou seu trajeto para Serrambi/Santa Catarina.
É a única linha da empresa Via Sul (marca da empresa TransFlor utilizada nos
veículos) com itinerário entre a zona sul e a zona norte de Natal.

51 – Pirangi/Rocas, via Praça
Empresa: TransFlor
52 – Pirangi/Rocas, via Alecrim
Empresa: TransFlor
53 – Flamboyants/Rocas
Empresa: TransFlor
A linha foi extinta em 2006, quando a empresa TransFlor
deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda.
54 – Ponta Negra/Rocas, via Alecrim
Empresa: TransFlor
Mudanças: A operação da linha foi repassada, inicialmente, à
empresa Pirangy. Posteriormente, a Reunidas se tornou responsável pela linha,
após comprar a Pirangy. Mas houve ainda uma outra mudança: a operação foi
repassada para a Santa Maria – já que as empresas Santa Maria e Reunidas
pertencem ao mesmo grupo empresarial, mas a garagem da Santa Maria fica
localizada na zona sul, sendo mais próxima do terminal da linha. Com a mudança,
as empresas concentram suas operações numa única área.
55 – Ponta Negra/Alecrim
Empresa: TransFlor
A linha teve seu trajeto alterado, se tornando
Serrambi/Ribeira, via Alecrim/Praça, mas foi extinta em 2011, quando a empresa
TransFlor deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda.

56 – Ponta Negra/Rocas (Via Costeira)
Empresa: TransFlor
Mudanças: A linha foi repassada para a Pirangy, e
posteriormente, durante a compra da Pirangy pela Reunidas, já naquela ocasião o
grupo responsável pelas empresas, repassou a 56 para a Santa Maria, pela
proximidade da garagem da empresa.
57 – Ponta Negra/Ribeira (Opcional)
Empresa: TransFlor
Mudanças: O trajeto original aliado ao projeto especial, com
ônibus diferenciados para o sistema opcional foi extinto, e o código 57
reaproveitado pela empresa Cidade das Dunas, para a operação da antiga linha 24
– Mãe Luíza/Areia Preta. Com mudanças, a 57 se tornou “Vila São José/Mãe
Luíza”, e passou por mudanças de itinerário ao longo dos anos. Atualmente,
foi lançado um novo itinerário para a linha este ano, que passou a contar com
terminal no bairro da Ribeira, de onde sai, em direção a Vila São José.
58 – Redinha/Alecrim (Povão na Praia)
Empresa: Guanabara
Mudanças: A linha passou por inúmeras modificações.
Inicialmente, deixou de fazer de fazer o trajeto original entre a Redinha e o
Alecrim por baixa demanda, mas foi adaptada, passando a ter três subdivisões
(58A, 58B e 58C), ligando vários bairros e regiões da zona norte à Redinha. A
operação acontecia apenas aos domingos e feriados. Ainda assim, devido à baixa
demanda, a linha foi extinta.

Anúncio Publicitário

59 – Guarapes/Brasília Teimosa
Empresa: Riograndense
Mudanças: A linha foi repassa a empresa Nossa Senhora da
Conceição, operadora ainda responsável pelo trajeto. Em relação a seu itinerário,
a principal alteração aconteceu com a retirada do atendimento ao bairro de
Brasília Teimosa, retornando na Praia do Forte.
60 – Pajuçara/Campus
Empresa: Guanabara
Mudanças: Tornou-se Pajuçara/Mirassol. Atualmente, atende o
Campus em determinadas viagens.
61 – Soledade I/Ribeira, via Petrópolis
Empresa: Guanabara
Mudanças: Uniu-se com a linha 62, se tornando a linha “61-62”.
62 – Panatis/Ribeira, via Petrópolis
Empresa: Guanabara
Mudanças: Uniu-se com a linha 61, se tornando a linha “61-62”.

63 – Felipe Camarão/Campus
Empresa: Nossa Senhora da Conceição
A linha conta com duas subdivisões que levam o código “63A”.
De segunda a sábado, a linha 63A opera o trajeto Felipe Camarão/Flamboyants.
Aos domingos e feriados, tanto a linha 63, quanto a 63A, são unificadas numa
única linha com o código 63A, que opera o trecho Felipe Camarão/Mirassol.
64 – Nova Natal/Ribeira, via Petrópolis
Empresa: Guanabara
A partir da linha 64, surgiu a subdivisão 64A, que já foi
criada unida a linha 43, sendo a “64A-43”.
65 – Neópolis/Ribeira, via Praça
Empresa: TransFlor
Mudanças: A linha contava com a subdivisão “65A”, que operava o trajeto Serrambi/Ribeira, via Alecrim/Praça, porém, essa
linha foi direcionada ao código 55, que ficou vazio após a empresa deixar de
operar seu trajeto original, reaproveitando assim o código. Já a linha 65,
absolveu parte do itinerário da linha 78 – Mirassol/Quintas, sendo a única
linha de ligação direta entre o bairro das Quintas e a zona sul de Natal.

66 – Ponta Negra/Cidade da Esperança, via Rodoviária
Empresa: TransFlor
Mudanças: A linha foi repassada para a Pirangy, e
posteriormente, durante a compra da Pirangy pela Reunidas, já naquela ocasião o
grupo responsável pelas empresas, repassou a 56 para a Santa Maria, pela
proximidade da garagem da empresa.
67 – Parque dos Coqueiros/Petrópolis, via Vila Paraíso
Empresa: Guanabara
Mudanças: A linha opera, atualmente, com o itinerário “Vale
Dourado/Petrópolis”.
68 – Alvorada IV/Ribeira, via Petrópolis
Empresa: Pirangy
Mudanças: Atualmente, a linha não atende mais o bairro da
Ribeira. A operação dela é de responsabilidade da Reunidas, sucessora da
Pirangy.
69 – Felipe Camarão/Ribeira, via Petrópolis
Empresa: Nossa Senhora da Conceição
Mudanças: Fundiu-se com a linha 23 e passou por mudanças nas
operações na região de Felipe Camarão, se tornando “23-69”, e sendo
operada em conjunto com a empresa Guanabara.
70 – Parque dos Coqueiros/Ribeira
Empresa: Guanabara
Mudanças: Atualmente, também atende ao bairro de Petrópolis,
na região central de Natal.
71 – Felipe Camarão/Ribeira, via Petrópolis
Empresa: Nossa Senhora da Conceição
Mudanças: Fundiu-se com a linha 22, se tornando “22-71
– Felipe Camarão/Rocas, via Petrópolis”.
72 – Vale Dourado/Campus
Empresa: Guanabara
Mudanças: Tornou-se Vale Dourado/Mirassol, não atendendo
mais o Campus da UFRN.
73 – Santarém/Mirassol
Empresa: Pirangy
Mudanças: Teve seu trajeto estendido até Ponta Negra, sendo,
atualmente, “73 – Santarém/Ponta Negra”, um dos principais trajetos da capital.

74 – Pitimbu/Tirol
Empresa: Cidade do Sol
A linha chegou a ter seu itinerário modificado, sendo
estendida até o Planalto, na tentativa de aumentar sua demanda, mas foi extinta
em 2005, quando a empresa Santa Maria, sucessora da Cidade do Sol, deixou de
operá-la.
75 – Parque das Dunas/Ribeira
Empresa: Guanabara
Mudanças: Após a inauguração da Ponte Newton Navarro, que
liga a Redinha ao bairro de Santos Reis, a linha foi dividida em 75A e 75B, com
trajetos inversos com ida pela Ponte Newton Navarro e volta pela Ponte de
Igapó, e ida pela Ponte de Igapó e volta pela Newton Navarro. Nas viagens
noturnas, a linha retorna ao itinerário único, com o código “75”, e
operação única pela Ponte de Igapó.
76 – Santarém/Ponta Negra (linha noturna)
Empresa: Pirangy
Mudanças: A empresa Pirangy optou por fazer um trajeto
diferenciado para a linha 73, estendendo o trajeto até Ponta Negra durante a
madrugada. A operação foi com uma nova linha, a 76, que rodava apenas na
madrugada – ao longo do dia, o trajeto entre o bairro do Santarém e a zona sul
de Natal, era feito pela linha 73 (Santarém/Mirassol). Após reclamação de
outras empresas, a linha foi cancelada, e o código ficou vazio, tendo sido
substituído para uma nova linha criada posteriormente, e opera até hoje: “76 –
Felipe Camarão/Parque das Dunas”. A linha é de responsabilidade das empresas
Guanabara e Conceição, sendo uma ligação entre a zona oeste e a zona norte. Aos
domingos, a linha se torna “76A – Felipe Camarão/Redinha”, modificando o
trajeto, e atendendo à praia.

77 – Parque dos Coqueiros/Mirassol
Empresa: Guanabara

78 – Mirassol/Quintas
Empresa: TransFlor
Mudanças: O trajeto operado inicialmente pela empresa
TransFlor, por algum motivo desconhecido ao portal UNIBUS RN, foi cancelado. O
código ficou vazio e foi utilizado para o trajeto da linha 09A –
Santarém/Ribeira, via Petrópolis, da empresa Pirangy. Mais tarde, a 78 acabou
por unificar o trajeto da linha 09 – Santarém/Rocas, se tornando a única
ligação entre o bairro do Santarém e o centro de Natal. A linha ainda se fundiu
com a 11-17, se tornando, atualmente, a 17-78.

79 – Parque das Dunas/Mirassol
Empresa: Guanabara

80 – Gramoré/Praia do Meio (linha noturna)
Empresa: Guanabara
A linha foi extinta quando a empresa Guanabara deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda.

81 – Parque dos Coqueiros / Praia do Meio (linha noturna)
Empresa: Guanabara
Mudanças: A linha foi extinta quando a empresa Guanabara deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda. O código foi reaproveitado, a e linha se tornou “81 – Vila Verde I/Petrópolis”, com operação até os dias atuais.

82 – Felipe Camarão/ Praia do Meio (linha noturna)
Empresa: Nossa Senhora da Conceição
A linha foi extinta quando a empresa Conceição deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda.

83 – Cidade Nova/ Praia do Meio (linha noturna)
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: A linha foi extinta quando a empresa Cidade do Sol deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda. O código foi reaproveitado, mais tarde, para a linha “83 – Felipe Camarão/Ponta Negra, via Cidade Satélite/Pirangy, em operação até hoje. Em relação à linha que atualmente opera, as principais mudanças estão na operação das empresas responsáveis. Inicialmente, TransFlor, Cidade do Sol e Nossa Senhora da Conceição eram as operadoras. Porém, com o desenrolar do histórico das empresas, ela é operada atualmente, apenas pelas empresas Santa Maria e Conceição, já que a parte da linha da Cidade do Sol foi repassada à Santa Maria – uma de suas sucessoras, e a TransFlor repassou a linha para a Pirangy, que acabou sendo comprada pela Reunidas, que por fazer parte do mesmo grupo empresarial teve as operações modificadas para a Santa Maria.

84 – Cidade Satélite/ Praia do Meio (linha noturna)
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: A linha foi extinta quando a empresa Cidade do Sol deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda. Apesar disso, o código foi reaproveitado, quando, em 2007, a linha se tornou “84 – Soledade I/Petrópolis, via Ponte Newton Navarro/Av. Moema Tinoco”. A operação passou a ser de responsabilidade da empresa Guanabara.

85 – Ponta Negra/Praia do Meio (linha noturna)
Empresa: TransFlor
Mudanças: A linha foi extinta quando a empresa TransFlor deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda. Semelhante à 84, o código foi reaproveitado, e linha se tornou “85 – Soledade I/Petrópolis, via Ponte Newton Navarro/Av. Dr. João Medeiros Filho”. Na 85, a operação passou a ser feita pela empresa Reunidas, que, apesar de a linha ser de a única pela linha, a 85 foi operada durante seus cinco primeiros anos (a linha iniciou as operações em 2007, na ocasião da inauguração da Ponte Newton Navarro) em conjunto com as empresas Cidade do Natal e Via Sul, a convite da Reunidas, numa espécie de consórcio. Além delas, a Guanabara também chegou a operar a linha.  A operação conjunta teve fim em 2012.

88 – Alimentador Ribeira/Rocas
Empresas: Guanabara e Pirangy
As empresas passaram a operar a linha Circular entre os
bairros da Ribeira e Rocas, após a redução de itinerário de diversas linhas das
zonas norte e oeste que iam até o bairro das Rocas, e tiveram a operação
reduzida até a Ribeira. Como forma de atender a demanda de quem ia ao bairro
vizinho, as empresas operaram o Circular.
586 – Circular – Cidade Satélite/Planalto
Empresa: Cidade das Dunas
A linha foi extinta quando a empresa Cidade das Dunas deixou
de operá-la, estendendo a linha 33 (Cidade Satélite/Praia do Meio) até o Planalto, e inviabilizando a existência do Circular.
587 – Circular – Felipe Camarão/Guarapes
Empresa: Nossa Senhora da Conceição
Mudanças: inicialmente a linha fazia o trajeto entre o
bairro de Felipe Camarão e o Guarapes, até ser extinta. O código foi
reaproveitado, e atualmente está em operação em outra linha Circular da região:
“587 – Circular – Planalto / Village de Prata”.

588 – Alimentador Campus
Empresa: Cidade do Sol
Mudanças: O Circular do Campus foi um projeto da empresa
Cidade do Sol após a alteração da linha 33 – Cidade Satélite/Nova Descoberta,
via Campus. A empresa passou a disponibilizar um ônibus com operação gratuita
entre Mirassol e a UFRN para suprir a demanda para o Campus, após a mudança de
itinerário da linha 33. Com o fim do atendimento no Campus por diversas linhas
de Natal, a demanda da linha 588 cresceu consideravelmente, e outras empresas também
passaram a operá-la. Atualmente, a linha é feita por todas as seis empresas do
sistema local (Guanabara, Santa Maria, Nossa Senhora da Conceição, Via Sul,
Cidade do Natal e Reunidas), e conta com quatro trajetos, definidos como “Circular
direto”, “Circular inverso”, “Expresso Reitoria”, e “Expresso C&T”.

589 – Circular Felipe Camarão/Rua Padre Cícero
Empresa: Nossa Senhora da Conceição
A linha foi extinta quando a empresa Conceição deixou de
operá-la, possivelmente por baixa demanda.

590 – Circular – Nova Descoberta/Cidade da Esperança
Empresa: Cidade das Dunas
A linha foi extinta quando a empresa Cidade das Dunas deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda.

591 – Circular Alvorada IV
Empresa: Pirangy
A linha foi extinta quando a empresa Reunidas – sucessora da
Pirangy – deixou de operá-la, possivelmente por baixa demanda.
592 – Circular – Lot. Santa Cecília
Empresa: Guanabara
593 – Circular – Lot. Residencial Redinha
Empresa: Guanabara
594 – Circular – Term. Integração/Soledade I
Empresa: Reunidas
A linha foi extinta quando a empresa Reunidas deixou de
operá-la, possivelmente por baixa demanda.
Em relação a 594, ela chegou a contar com a subdivisão “594A”,
com operação pela empresa Riograndense, e itinerário Circular – Term.
Integração/Nordelândia. A linha também foi extinta.
595 – Circular – Term. Integração/Soledade II
Empresa: Guanabara
A linha foi extinta quando a empresa Guanabara deixou de
operá-la, possivelmente por baixa demanda.
596 – Circular – Term. Integração/Parque dos Coqueiros
Empresa: Reunidas
A linha foi extinta quando a empresa Reunidas deixou de
operá-la, possivelmente por baixa demanda.
597 – Circular – Term. Integração/Nova Natal
Empresa: Riograndense
A linha foi extinta quando a empresa Riograndense deixou de
operá-la, possivelmente por baixa demanda.
599 – Circular – Parque da Cidade/Bairro Latino
Empresa: Santa Maria
Mudanças: A linha foi extinta quando a empresa Santa Maria deixou
de operá-la, possivelmente por baixa demanda.
O código foi reaproveitado pela empresa Nossa Senhora da
Conceição para a operação de um Circular entre os bairros do Leningrado e
Guarapes. Devido a alta demanda, a linha se estendeu, se tornando
Leningrado/Mirassol, e continua em operação mesmo com o código indicando ser de
uma linha Circular, como no considerado no projeto das linhas sequenciais
inaugurado em 1990.
600 – Parque dos Coqueiros/Norte Shopping
Empresas: Guanabara e Reunidas
Mudanças: A linha fazia uma operação entre bairros da zona
norte, ligando o bairro do Parque dos Coqueiros ao Norte Shopping. Inicialmente,
a linha era divida entre “600A” e “600B”, com trajetos inversos de ida e volta um
ao outro, até que foi unificada.
As empresas operadoras responsáveis pela linha, Guanabara e Reunidas,
também tiveram o apoio de parte das outras empresas na operação, formando um
consórcio. Assim, além das duas responsáveis, as empresas Conceição, Cidade do
Natal e Via Sul também operaram a linha. Em 2014, ela foi repassada ao sistema
opcional.
700 – Circular – Term. Integração/Nova Natal
Empresas: Guanabara e Reunidas
Mudanças: A linha foi proposta como Circular entre o
terminal de Integração do Soledade I e o bairro do Nova Natal no ano de 2012,
após o fim das operações da Riograndense, como forma de suprir a demanda da
antiga a empresa, colaborando na ligação dos usuários até o terminal do Nova
Natal, de onde poderiam integrar com outras linhas. Por duas vezes, um veículo
de cada empresa tentou operar a linha, mas pessoas identificadas como sendo ex-funcionários
da Riograndense, além de motoristas e cobradores filiados ao Sindicato da
categoria, impediram o funcionamento da linha. Eles exigiam garantias para o
pagamento dos direitos trabalhistas da Riograndense. A linha, praticamente, não
operou.

O código foi reaproveitado pela empresa Cidade do Natal,
quando, em meados de 2016, passou a operar um novo trajeto: “700 – SanValle/Alecrim,
via Av. Jaguarari”. A linha teve várias propostas de itinerário, mas, sem
sucesso, foi extinta, possivelmente devido a baixa demanda.
Juntamente a linha 599, elas foram às únicas com códigos
diferenciados em grandes trajetos. No caso da 700 – seja na operação Circular,
seja na linha do bairro SanValle – chamava atenção a completa falta de
sequência do código dentro do sistema local.
O Portal UNIBUS RN, inclusive, reitera que a respeito de
possíveis mudanças que possam reorganizar o sistema, questionamos a STTU para saber se a pasta tem planos para uma nova numeração e quais
critérios seriam utilizados. Por meio da assessoria de comunicação, o órgão
informou que “por enquanto não há planejamento de mudança na codificação das
linhas”.

Atualizado às 10:13 para acréscimo e correção de informações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.