Para diretora-geral da Uber no Brasil, empresa superou questões trabalhistas

Tarifa dinâmica. Claudia Woods, diretora-geral da Uber no Brasil, promete manter em 2020 o ritmo acelerado dos últimos meses, com a entrada no mercado de patinetes, o lançamento de um sistema de informações para integração com transporte público e a expansão do programa de fidelidade. Aspectos de segurança e regulação permanecem tratados como grandes temas, enquanto outros de forte repercussão nos últimos anos, como a questão trabalhista, são considerados superados.
Foto: Fernanda Carvalho/Fotos Públicas – Ilustração
Escolhas. Segundo Woods, a empresa seguirá lançando ferramentas de segurança. O centro de engenharia global da Uber especializado no assunto fica em São Paulo, permitindo que alguns lançamentos sejam feitos primeiro aqui.
Volante. Em outubro, foi criado um projeto na tentativa de atrair mulheres para dirigir no aplicativo, com um botão que lhes permite atender somente passageiras.
Rodinha. As patinetes elétricas da Uber começaram a circular, em Santos, no início do mês. O Brasil foi o primeiro país da América Latina a receber a modalidade. Pouco antes, a empresa americana lançou integração com o transporte público na região metropolitana de São Paulo, com informações sobre linhas de ônibus, metrô e trens no app.
Carimbo. A companhia já entregou toda a documentação exigida pela regulação municipal de São Paulo para trazer as patinetes elétricas para a cidade e aguarda licenciamento desde setembro.
PROSA
“A gente entende que aqui no Brasil, devido à característica do nosso país, é um excelente lugar para esse centro de engenharia [de medidas de segurança] estar localizado” – Claudia Woods, diretora-geral da Uber no Brasil
PAINEL S.A.
Folha de SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.