Obras de adequação da BR-101 sul devem ser concluídas em março

O pacote de obras da BR-101 Sul, entre Natal e Parnamirim, ganhou um novo prazo por parte da Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit-RN). Com 95% das obras concluídas, a expectativa é concluir o pacote na metade de março.
Foto: Adriano Abreu (Tribuna do Norte)
De acordo com o Dnit, dos 5% restantes das obras, faltam ser implementados 400 metros de pavimentação da marginal esquerda, no sentido Parnamirim/ Natal, das ruas Santo André à Rua Parque do Sol, em Parnamirim. Além disso, ainda há a pendência de quatro das seis passarelas e outras 14 paradas de ônibus, de um universo de 52.
As passarelas pendentes serão instaladas nas rua Barão de Lucena, em Natal, Avenida Maria Lacerda e ruas Sílvia Bandeira de Melo e Rio Negro, em Parnamirim. Todos esses serviços, segundo o Dnit, vão custar recursos da ordem de cerca de R$ 20 milhões.
Orçada originalmente em R$ 71 milhões, recursos do Ministério da Infraestrutura, a requalificação da BR-101 engloba a construção de cinco viadutos, duas passagens inferiores, 52 paradas de ônibus, vias marginais nos dois sentidos da pista e seis passarelas entre os municípios de Natal e Parnamirim. A ideia é que, uma vez concluídas, as obras permitam aumentar a velocidade média dos veículos que trafegam na via de 60 km/h para 80 km/h, além de ampliar a capacidade de tráfego de 12 mil para 20 mil veículos por dia.
Mesmo perto da conclusão, as obras de requalificação da BR-101 ainda apresentam gargalos em alguns trechos, como falta de sinalização, iluminação e passagens apropriadas para pedestres. O jornal Tribuna do Norte repercutiu o assunto em outras edições ao longo de 2019 e pôde constatar que, mesmo com as passarelas, muitos pedestres acabavam preferindo se arriscar para fazer a travessia pela pista a correr o risco de sofrerem assaltos nas passarelas e túneis instalados.
Uma dessas passarelas desmontadas foi a do Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim. A passarela foi desmontada em outubro de 2018 e desde então ainda não ganhou um novo destino. A reportagem esteve no local na tarde desta quarta-feira (05) e notou que há mato crescendo nas estruturas da antiga passarela. O Dnit informou que elas “serão reaproveitadas em local adequado para travessia segura de pedestres”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.