Ônibus de São Paulo passam a incluir símbolo do autismo nos assentos preferenciais; Informação já está presente nos ônibus de Natal

Por UNIBUS RN
Com informações do G1 SP e da Revista NTUrbano
Fotos: Renata Bitar e Divulgação/SETURN

Toda a frota deverá conter a informação até o final do primeiro semestre

As empresas de ônibus do município de São Paulo começaram a exibir o símbolo mundial da conscientização sobre o autismo nos adesivos que identificam os assentos preferenciais no transporte de público da cidade. A inclusão foi determinada pela SPTrans (São Paulo Transporte), empresa que organiza o transporte da cidade.

A medida está baseada na Lei Estadual nº 16.756, de junho de 2018, que tornou obrigatória a inserção do símbolo do Transtorno do Espectro Autista (TEA) – um laço estampado com o quebra-cabeça colorido – para indicar os grupos preferenciais nos estabelecimentos públicos e privados que disponham prioridade.

O direito de atenção prioritária também é garantido às pessoas com autismo pela Lei Federal nº 12.764/2012, que instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista.

O prazo estabelecido pela SPTrans é de que todos os adesivos dos ônibus sejam alterados até o final do primeiro semestre deste ano, e caso as empresas não realizem as mudanças, serão passíveis de autuação.

Em Natal, boa parte da frota urbana já conta com o adesivo que indica os assentos preferenciais para quem é portador do autismo. Na maioria das empresas associadas ao Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal – Seturn, os ônibus contam com adesivos internos próximos aos assentos preferenciais, com o símbolo do TEA.

A presença do laço com o quebra-cabeça nos ônibus de Natal, inclusive, motivou a médica potiguar Rochele Barbalho, mãe de Alberto, um estudante autista de 13 anos, a entrar em contato com o metrô de São Paulo sugerindo a sinalização do uso preferencial por quem tem o TEA nos metrôs paulistanos.

Relembre: Assim como empresas associadas ao SETURN, Metrô de São Paulo vai aderir ao laço do autismo

O contato pela médica foi feito após Alberto enfrentar dificuldades, durante uma viagem de férias feita com a família, devido à falta de informação sobre o direito ao assento prioritário do autista no metrô de São Paulo. Na ocasião, um passageiro idoso entrou no metrô e abordou o jovem, pedindo que ele se retirasse do assento: “Eu e o meu marido explicamos ao passageiro sobre o autismo e também do direito destes ao assento preferencial”, informou Rochele, que percebeu que a necessidade de estimular o Metrô de São Paulo a disseminar o conhecimento sobre o assento preferencial no transporte público para os autistas na maior cidade da América Latina.

No retorno à Natal, a mãe de Alberto enviou um e-mail ao Metrô de São Paulo, relatando a experiência vivida pela família, citando a Lei nº 12.764 e sugerindo a sinalização nos veículos. Em resposta a Rochele, o Metrô de São Paulo, por meio do Serviço Estadual de Informações ao Cidadão (SIC/SP), enviou um e-mail confirmando que providenciará a substituição de toda a sua comunicação visual de uso preferencial visando à inclusão do “laço com o quebra-cabeça”.

Visando ampliar o acesso a mais conhecimentos sobre o TEA, o SETURN e o NatalCard incluíram o tema do Dia do Orgulho Autista, celebrado em junho, no Calendário 2020, com informações de utilidade pública sobre o autismo. Assim como outras temáticas, o autismo está sendo promovido em ações de responsabilidade social desenvolvidas ao longo do ano pelo sindicato empresarial juntamente ao NatalCard.

EMPRESAS DE TODO BRASIL PROMOVEM AÇÕES

De acordo com a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, empresas de todo Brasil têm realizado ações de conscientização do autismo: “O tema foi abraçado por diversas empresas de transportes urbanos ao longo dos últimos anos”, destaca a entidade.

Em abril de 2018, um ônibus urbano adesivado de azul e com informações sobre o distúrbio circulou por Juiz de Fora (MG). A iniciativa partiu de uma parceria firmada entre o Grupo de Apoio a Pais e Profissionais de Pessoas com Autismo de Juiz de Fora (Gappa-JF), a Prefeitura de Juiz de Fora e a Auto Nossa Senhora Aparecida (Ansal), empresa que faz parte dos Consórcios Integrados de Transporte Urbano de Juiz de Fora (Cinturb).

Em março de 2019, a empresa Transa Transporte, de Três Rios (RJ), trouxe a campanha ‘‘Com amor e respeito as peças se encaixam’’, que buscava a conscientização dos usuários do transporte coletivo sobre o autismo e discutia como lidar com pessoas que possuem o distúrbio, especialmente crianças. A ação envolveu também veiculação em mídias sociais e busca de empresas interessadas em expandir a campanha.

A ideia para a campanha surgiu de uma sugestão de duas mães de autistas que utilizam os coletivos. Segundo elas, o comportamento ocasional dos filhos autistas nos ônibus passa uma impressão equivocada aos outros passageiros. “O autismo não apresenta nenhuma característica física, e as pessoas não cedem o lugar. Na maioria das vezes, as crianças vão em pé, porém algumas delas têm crises por conta da movimentação do ônibus e das pessoas, a questão do toque, então algumas começam a gritar e ficar agitadas, e as pessoas reclamam por não entenderem”, disse Sandra Cabral Machado Viana, mãe dos pequenos Isaque e Giovani, que possuem graus diferentes de autismo.

Sensibilizada com o caso, a diretora da Transa Transporte, Virgínia Cassini, decidiu embarcar na iniciativa: “Nós percebemos as dificuldades que as pessoas com alguma deficiência passam dentro dos ônibus, em especial, na questão do respeito a elas e seus familiares. Acreditamos que podemos verdadeiramente ajudar a associação das mães de autistas para que eles sejam respeitados e as pessoas tenham um olhar mais humano sobre o indivíduo autista”, explicou.

Em parceria com as associações Fortaleza Azul e Pintando o Sete Azul, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) lançou, em agosto de 2019, a campanha ‘‘O autismo não se cura, se compreende’’. O objetivo foi esclarecer clientes e colaboradores sobre o autismo, informar sobre a prioridade aos autistas no transporte coletivo (a Lei Federal 12.764/2012 considera autistas como pessoas com deficiência, o que lhes garante o direito a assentos prioritários no transporte público), dar orientações em caso de crise e estimular a empatia e o respeito.

Para a campanha foram produzidos folders ilustrados, spots para rádio, inclusão do símbolo do autismo em assentos prioritários nos coletivos e distribuído material de treinamento para os colaboradores. Também estiveram presentes no evento de lançamento da campanha, além das empresas de transportes filiadas, representantes do Detran-CE, da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC).

A última ação ocorreu no dia 14 de dezembro, quando a Expresso Maringá, responsável pelo transporte coletivo em São José dos Campos (SP), levou crianças e jovens do Instituto Viva Autista em um passeio no ônibus iluminado de Natal da empresa. A viagem percorreu as principais vias da zona central da cidade e terminou na Avenida Nelson D’Ávila, onde lojistas apoiadores esperavam para distribuir lanches e presentes do Papai Noel para as crianças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.