Uberlândia propõe auxílio de até R$ 5 milhões mensais para pagamento dos trabalhadores do transporte municipal

Uberlândia propõe auxílio de até R$ 5 milhões mensais para pagamento dos trabalhadores do transporte municipal

Do Diário do Transporte
Foto: Bruno França de Queiroz/Ônibus Brasil

O prefeito de Uberlândia, no triângulo mineiro, Odelmo Leão, anunciou em live transmitida na tarde desta sexta-feira, 8 de maio de 2020, que encaminhou à Câmara de Vereadores um Projeto de Lei do Executivo propondo aporte financeiro às empresas de ônibus que operam o serviço de transporte coletivo a cidade.

Na manhã da quinta-feira (7), os funcionários das empresas São Miguel e Auto Trans paralisaram o trabalho em protesto diante do parcelamento dos salários.

Na live, o prefeito reconheceu que a crise no setor do transporte público vem afetando diretamente a atividade do transporte coletivo, com a forte redução de passageiros transportados em decorrência das medidas tomadas pelo Estado e pela Município para conter a disseminação do coronavírus.

Odelmo justificou a medida: “Só existia duas alternativas: ou eu faria esta Lei, ou teria que aumentar o valor da passagem, coisa que eu entendo que não é o momento para isso, e nem há condições econômicas para isso”.

Segundo Odelmo Leão, ele decidiu, como forma de amenizar a situação dos trabalhadores, efetuar um auxílio emergencial por até 4 meses, no valor de até R$ 5 milhões mensais.

O prefeito ressaltou que o dinheiro será utilizado especificamente para o pagamento da folha de salários dos trabalhadores das empresas de transporte.

O presidente da Câmara de Uberlândia confirmou que o PL do Executivo será debatido em sessão ordinária na segunda-feira, 11.

A situação do transporte tornou-se essencial com a retomada das atividades do comércio na segunda-feira, 11 de maio.

Em reunião nesta sexta-feira, 8, com representantes de entidades comerciais e industriais no Ministério Público Estadual (MPE), foi definido um novo modelo de escalonamento no horário de funcionamento de setores comerciais e de serviço.

A nova diretriz proposta conjuntamente pelo Ministério Público Estadual (MPE) e Ministério Público Federal (MPF) visa diminuir o fluxo de pessoas nas vias públicas em determinados horários.

A proposta definiu um escalonamento de horários para funcionamento das atividades conforme os setores.

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *