Devido redução no número de passageiros, Seturn pede a Prefeitura revisão da tarifa e auxílio financeiro

Devido redução no número de passageiros, Seturn pede a Prefeitura revisão da tarifa e auxílio financeiro

Por UNIBUS RN
Foto: Davi Alves Paulino/Ilustração/Ônibus Brasil

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos e Passageiros de Natal (Seturn), entidade que representa as empresas de ônibus de Natal, pediu a revisão dos cálculos das tarifas dos ônibus urbanos e um auxílio financeiro da gestão municipal para que as viações que atuam no serviço transporte possam continuar funcionando. O pedido foi feito a representantes da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) nesta quarta-feira (20).

Segundo o sindicato patronal, as empresas de ônibus estão sendo afetadas com a queda do número de passageiros desde o início dos decretos estadual e municipais e do isolamento social por conta da pandemia da COVID-19. De acordo com o Seturn, houve uma redução de 73% no número de passageiros, e de 68% da receita. Um relatório da entidade mostra que no dia 10 de março, antes dos decretos publicados pelo Governo do RN e pela Prefeitura do Natal, o número de passageiros que utilizaram os ônibus de Natal foi de 302 mil. Já no dia 17 de maio, domingo passado, o número foi de apenas 73 mil.

No documento entregue pelo Seturn à STTU, a entidade pede que 10% do valor que a Prefeitura do Natal receber do Governo Federal com o Projeto de Lei 39/2020, que institui o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, seja destinado ao órgão. Segundo o Seturn, o transporte público é “uma das atividades essenciais necessárias ao enfrentamento da pandemia”, mas que, por ser “potencial aglutinador”, foi “obrigado a alterar a operação do serviço” após o decreto municipal que reduziu em 30% o número de viagens.

“Pedimos hoje um socorro imediato à secretaria de transporte, ao poder público, a exemplo do que está acontecendo na maioria das capitais, em que o poder público está socorrendo o transporte público, porque é um serviço essencial. E se nada for feito aqui em Natal, infelizmente o colapso vai acontecer. Infelizmente até o fim do mês não tem como as empresas continuarem porque não tem dinheiro nem pra pagar o pessoal das operações”, afirmou Nilson Queiroga, consultor técnico do Seturn.

Ainda de acordo com o documento do Seturn, a entidade faz o pedido de revisão da tarifa. Na avaliação do sindicato, os atuais valores da passagem de ônibus de Natal (R$ 4 no dinheiro e R$ 3,90 no cartão eletrônico) e a suspensão do reajuste que aconteceria em março afetou as finanças das empresas, ocasionando um déficit tarifário. A última revisão aconteceu há mais de um ano, o que, segundo o Seturn, reforça a “necessidade de revisão do cálculo”.

Segundo o Seturn, o desequilíbrio nas contas atingiu “patamares nunca vistos”. “Houve uma queda abrupta na quantidade de passageiros por força das medidas governamentais de isolamento social e quarentena, sem paralelo na redução de custos do setor, desequilibrando a equação financeira da prestação dos serviços”, cita o documento.

O sindicato patronal também afirmou que mais de 80% dos trabalhadores que seguem nas empresas tiveram os salários reduzidos pela metade.

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *