A atuação de empresas da Grande Natal em Mossoró

A atuação de empresas da Grande Natal em Mossoró

Por UNIBUS RN
Fotos: Acervo UNIBUS RN e Acervo Busologia Mossoroense
Agradecimentos: Kaio Lucas (Busologia Mossoroense)

O “Especial UNIBUS RN” está de volta! Nesta edição, a coluna traz um intercâmbio empresarial que foi muito forte nos anos 1990 e no começo dos anos 2000 e que, de alguma maneira, continua vivo até hoje. Neste post, você verá a atuação de empresas de ônibus da região metropolitana de Natal na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte: Mossoró.

A “Capital do Oeste”, com seus mais de 300 mil habitantes, conta atualmente com uma única empresa no transporte público de passageiros. Porém, entre os anos 1990 e 2000, mais empresas operaram linhas na cidade, incluindo conglomerados com atuação em Natal. Há registros de operação das empresas Cidade do Sol, Trampolim da Vitória e Pirangy, histórias essas que você confere abaixo.

Transportes Pirangy: A atuação da Pirangy em Mossoró foi curta, porém bastante intensa, com muita reverberação de seu trabalho na cidade na época.

Em outubro de 1995, juntamente com a Cidade do Sol, a Transportes Pirangy chegou a Mossoró com veículos que já haviam operado em Natal, para circular em uma única linha: ESAM / URRN / Centro (A ESAM se transformou na UFERSA, enquanto que a URRN mudou para UERN), com o trajeto equivalente a atual linha 06 (Universidades). Na época, a empresa TransMossoró havia parado de operar e a chegada da Pirangy fez com que a linha não deixasse de circular, além de melhorar o atendimento a diversos bairros da cidade.

Entretanto, outras duas empresas que operavam linhas da cidade na época (Santa Luzia e Dois Irmãos), com poderio financeiro inferior, fizeram pressão em diversas frentes para que as empresas da capital deixassem a cidade. “As pressões das empresas locais contra as concorrentes natalenses partiram no instante em que perceberam que não poderiam concorrer em pé de igualdade com as concessionárias de Natal”, diz um trecho de reportagem do jornal Gazeta do Oeste, de 27 de dezembro de 1995, em que explica as razões dos empresários locais para não quererem companhia.

Ainda no final de 1995, a Pirangy deixou Mossoró apenas dois meses após começar suas atividades na Capital do Oeste.

Cidade do Sol: Uma das maiores e mais tradicionais empresas de Natal e região metropolitana, a Cidade do Sol, desembarcou na “capital do oeste” juntamente com a Transportes Pirangy, em 1995, pouco antes de encerrar suas atividades em Natal. Na prática, a mudança de Natal para Mossoró foi planejada por sua diretoria, que decidiu descontinuar a atuação no transporte da capital – tendo se tornado, em parte a Santa Maria e outra parte a Cidade das Dunas – enquanto se manteve na atuação da região metropolitana de Natal, através da Trampolim da Vitória, bem como continuou com as atividades como Cidade do Sol em Mossoró.

Diferentemente da Transportes Pirangy, que já sofria impactos da crise financeira – a empresa foi vendida para um grupo empresarial do Rio de Janeiro em 1998, onde se manteve com a marca “Pirangy”, e logo em seguida, em 2001, foi novamente vendida para o grupo empresarial, se tornando a Reunidas, que segue em operação na capital até hoje – a Cidade do Sol dispunha de melhor estrutura financeira, especialmente por conta da venda da empresa em Natal, o que possibilitou capital não apenas para investir, mas para bancar a concorrência com as outras empresas e continuidade no transporte de Mossoró.

Assim, a Cidade do Sol não só se manteve no transporte da segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, como aumentou sua área de atuação, passando a atuar em linhas de diversas empresas que encerraram as atividades ao longo dos anos. Infelizmente, o transporte em Mossoró sofre constantemente pela concorrência em especial de moto-taxistas, atividade regulamentada na cidade, realidade que ainda hoje é vivenciada pelo segmento, e que levou ao encerramento da atividade de diversas empresas no município.

O aumento da atuação da empresa na “capital do oeste”, inclusive, fez surgir uma segunda empresa do mesmo grupo, a Ouro Branco, que também operou linhas em Mossoró, que também passou a operar linhas das viações que encerravam as atividades.

Desde o início das atividades em Mossoró, a Cidade do Sol transferiu boa parte da frota que operou em Natal para a atuação na cidade. A prática se manteve ao longo dos anos, com a inclusão de ônibus que operaram na Grande Natal (seja da antiga Cidade do Sol que puderam ser aproveitados, seja da Trampolim da Vitória), e também comprados de empresas de outros estados, como Ceará e Rio de Janeiro.

O repasse de ônibus que pertenciam às empresas do grupo inclusive possibilitou que, durante alguns períodos, eles operassem com as antigas pinturas utilizadas na Grande Natal, ou até mesmo com a marca de outra empresa. Há registro de pelo menos um ônibus da Trampolim da Vitória que atuou em Mossoró, operando “A serviço da Cidade do Sol”.

As empresas também chegaram a receber ônibus novos, em 2011. Duas unidades do modelo ‘Spectrum’, da Neobus, encarroçados em chassis Mercedes-Benz OF-1418 e em configuração idêntica, foram compradas para cada uma das viações.

Atualmente, a Cidade do Sol permanece como a única operadora do transporte na cidade, porém, a empresa foi vendida a um grupo empresarial de Minas Gerais. Atualmente, já não há mais ligação com a empresa Trampolim da Vitória, ou com as origens da antiga Cidade do Sol que migrou de Natal para Mossoró.

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *