Rio de Janeiro: Passageiros denunciam superlotação no BRT

Rio de Janeiro: Passageiros denunciam superlotação no BRT

Do O Dia – RJ
Foto: Reprodução/TV Globo

Apesar da determinação dos governos municipal e estadual de que os transportes públicos devam circular apenas com passageiros sentados – medida adotada para evitar o contágio da covid-19 -, a reclamação de superlotação continua. Ontem, segundo dia do retorno dos transportes intermunicipais, houve novamente o registro de passageiros viajando em pé em trens e ônibus do BRT.

Apesar de a Prefeitura do Rio afirmar que está multando os ônibus que descumprem as regras, e o consócio BRT dizer que reforçou a frota na linha Transoeste, muitos passageiros estão insatisfeitos. “Os ônibus que eles colocaram ficam parados desde 5h. Enquanto isso, nos esprememos dentro desse transporte velho”, reclamou a diarista Renata Moreira Ramos, moradora de Pedra de Guaratiba.

Nos trens a situação não era diferente, com passageiros que chegavam à estação Central do Brasil reclamando do tempo de viagem e de vagões lotados em alguns ramais. Pela manhã, a Supervia registrou o embargue de 83.106 passageiros – o que representa uma queda de cerca de 60,3%, em relação a uma terça-feira comum e de 2,4% em relação às últimas terças-feiras, já durante o isolamento.

Sobre o transporte intermunicipal, a Federação das Empresas de Transportes de Passageiros (Fetranspor) disse que “as empresas intermunicipais, com destino à capital, estão prontas para a retomada das operações, atendendo a todas as recomendações sanitárias estabelecidas pelas autoridades de saúde.

RECLAMAÇÃO NO TEMPO DE VIAGEM NOS TRENS

Nos trens, passageiros que chegavam na estação Central do Brasil reclamaram do tempo de viagem de algumas composições. Houve registro de vagões lotados em alguns ramais.

Pela manhã, a Supervia registrou o embargue de 83.106 passageiros. Esse número representa uma queda de 126.198 passageiros, cerca de 60,3%, em relação a uma terça-feira comum – antes das medidas de restrição – e de 2,4% em relação às últimas terças-feiras, já durante o isolamento.

Na segunda-feira a empresa registrou perda de 374.116 passageiros, o que corresponde a 61,8% de uma segunda-feira comum.

“Desde o dia 16 de março, a empresa vem observando queda de 60 a 75% do número de clientes totais em dias úteis e já deixou de transportar, neste período, 24.412.358 pessoas. Com isso, houve perda de receita de cerca de R$ 40 milhões por mês”, disse a Supervia, em nota.

DÉFICIT DE 75 MIL RODOVIÁRIOS

A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) disse que “as empresas que operam linhas intermunicipais com destino à capital estão prontas para a retomada das operações, atendendo a todas as recomendações sanitárias estabelecidas pelas autoridades de saúde.

Apesar da informação, a Fetranspor ressalta que as empresas de ônibus estão se esforçando para repor o déficit de 75 mil rodoviários que foram afastados durante o isolamento.

“Nesta primeira semana, podem acontecer problemas pontuais para o atendimento pleno das necessidades da população, caso a procura pelo transporte supere em muito as expectativas, já que é necessária a convocação extra de rodoviários para o retorno ao trabalho, a limpeza e a higienização da frota adicional e a negociação com fornecedores, além da adequação da operação em virtude da concentração de passageiros nos horários de maior movimento, da distribuição de passageiros de gratuidades ao longo do dia e da eliminação das restrições de circulação pelos municípios”.

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *