Natal: Greve dos rodoviários começa na sexta-feira, com frota de emergência disponível

Natal: Greve dos rodoviários começa na sexta-feira, com frota de emergência disponível

Por UNIBUS RN
Foto: Divulgação (Redes sociais)

O SINTRO / RN, sindicato que representa os trabalhadores do transporte rodoviário no Rio Grande do Norte, anunciou em suas redes sociais que deflagrará greve no transporte público de Natal por tempo indeterminado a partir da meia-noite da próxima sexta-feira, 19. O início do procedimento que culminará com a paralisação ocorreu hoje, com a divulgação do edital de greve nos jornais em circulação na capital potiguar.

De acordo com a nota divulgada em suas redes sociais, a greve é motivada pelo não andamento nas negociações da convenção coletiva da categoria, cuja data-base venceu em 1º de maio. A categoria abriu mão de negociar possíveis reajustes salariais, em virtude da queda da demanda de passageiros causada pela pandemia do COVID-19, porém solicitou a manutenção dos benefícios que os rodoviários têm direito, como o pagamento de vale-alimentação e plano de saúde. “Mesmo com o pedido realizado pelo sindicato de reconhecimento da data-base através do protesto judicial e reconhecido pelo desembargador Bento Herculano, o SETURN, de forma irresponsável e ilegal, deixa de pagar o vale alimentação e o plano de saúde dos trabalhadores, causando o desespero na categoria”, diz um trecho da publicação.

Como as negociações não prosseguiram, segundo o sindicato, houve a realização de assembleia sindical onde foi aprovado indicativo de greve, por tempo indeterminado, no sistema de transporte público por ônibus da capital.

Pela Lei que regula movimentos paredistas, a greve só pode começar após 72h da divulgação de edital em jornais de grande circulação. Como o edital foi publicado nesta terça-feira, a paralisação deverá começar à meia-noite da próxima sexta-feira, 19. Mesmo com esse intervalo entre a divulgação e o início da greve, Harley Davidson, Segundo Secretário Geral do SINTRO, explica ao UNIBUS RN que a chance de um acordo ocorrer é pouca.

“O prazo é esse mesmo: [depois da divulgação do edital, a greve começa] após as 72 horas. Porém, acho muito difícil de chegarmos a um acordo antes de deflagrar a greve, pois os empresários tiraram todos os benefícios dos trabalhadores”, explica Harley.

Há a expectativa, ainda, sobre como o transporte público irá operar na cidade. Para o UNIBUS RN, o representante do sindicato informou que a frota de emergência, que corresponde a 30% do número de ônibus em circulação, circulará em Natal durante a greve. “Iremos obedecer à lei de greve para não se tornar uma greve abusiva”, destaca Harley Davidson.

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *