Natal: SINTRO / RN responde nota do SETURN sobre greve dos rodoviários

Natal: SINTRO / RN responde nota do SETURN sobre greve dos rodoviários

Por UNIBUS RN
Foto: Andreivny Ferreira (UNIBUS RN)

O impasse continua no sistema de transporte público de Natal. Após o anúncio da deflagração de greve por parte dos trabalhadores rodoviários, que começará à 0h da próxima segunda-feira, 22, o SINTRO / RN, sindicato que representa os trabalhadores das empresas de ônibus, divulgou hoje, 20, nota de esclarecimento, explicando os motivos pelos quais o movimento paredista será iniciado.

A nota oficial foi divulgada nas redes sociais do sindicato e é uma reação a outro comunicado, divulgado na imprensa ontem, 19. No texto, o SETURN, sindicato que representa as empresas de ônibus, repudiou protestos feitos nas garagens, que atrasaram o início da circulação dos ônibus – com a operação reduzida em virtude da pandemia do COVID-19, em vez de os ônibus circularem após às 5h, a circulação só começou próximo às 7h, afetando todas as linhas de ônibus da cidade.

Em seu comunicado, o SINTRO reitera as críticas que vem fazendo às empresas de ônibus, que estariam descumprindo a convenção coletiva da categoria. Dentre as reivindicações de sua pauta, o sindicato solicita a volta do pagamento do plano de saúde e do vale-alimentação dos rodoviários. Também é denunciado, pela nota oficial, que as empresas teriam demitido vários funcionários, sem citar números, e não teriam pago corretamente os valores devidos na rescisão contratual.

“[O SINTRO] entende que, em meio à pandemia do COVID-19, demitir empregado sem pagamento integral de suas verbas rescisórias, alegando força maior para se eximirem de suas obrigações trabalhistas, deixando a mercê os pais e mães de família que ficaram impossibilitados ao saque do FGTS e habilitação ao programa de seguro-desemprego, consiste no mínimo a ato atentatório à dignidade da pessoa humana”, diz um trecho do comunicado.

O texto ressalta ainda que os benefícios que não estariam sendo pagos são incluídos no cálculo da tarifa paga pelo usuário e, com as medidas tomadas, as empresas estariam “lesando o bolso do usuário, que também é trabalhador”. A nota ainda cobra posicionamento do Prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), e da Secretária de Mobilidade Urbana, Elequicina dos Santos, sobre as denúncias apresentadas. “A população quer saber o que vai justificar o usuário pagar R$ 4,00, com todos os itens acima citados, tendo sido violados”, cobra o sindicato, em outro trecho do comunicado.

Confira abaixo, na íntegra, o comunicado emitido pelo SINTRO / RN:

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *