Com retorno das atividades comerciais, frota de ônibus de Natal e região metropolitana terá aumento

Com retorno das atividades comerciais, frota de ônibus de Natal e região metropolitana terá aumento

Por UNIBUS RN
Fotos: Andreivny Ferreira (UNIBUS RN)

A reabertura de alguns serviços e atividades comerciais, recém autorizada pela administração pública local, já mexe com a economia da região metropolitana de Natal e, consequentemente, mobiliza também mais pessoas nas ruas, o que aumentou o movimento nas ruas. Para atender a volta de parte dessa demanda de funcionários e clientes, haverá acréscimo na frota de ônibus circulando na capital potiguar e no seu entorno.

Com o retorno parcial das atividades comerciais no Estado, a expectativa é que ocorra o aumento no número de passageiros que precisem do transporte público. No caso de Natal, de acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU), a atual tabela de frota e horários foi modificada para que passem a circular 406 ônibus em Natal, o que é equivalente a 70% da frota total cadastrada no órgão (580 veículos).

Em nota oficial, a assessoria da STTU informa que essa quantidade de ônibus será exigida nos dias úteis e que, com esse quantitativo, a tabela será equivalente ao que era solicitado aos sábados antes do início das medidas de isolamento social.

“Além disso, as empresas também devem seguir o quadro de horário programado para o sábado, que já é conhecido pela população e permitirá que essa se programe melhor. O horário da primeira e última viagem, contudo, seguirão inalterados: 05h partirá a primeira e 20h a última. A STTU seguirá observando a demanda do transporte e realizando os ajustes necessários”, diz trecho da nota enviada ao UNIBUS RN.

Nas linhas da região metropolitana, que ligam municípios vizinhos a Natal, a expectativa também é pelo aumento da demanda, que será acompanhado pelo crescimento da frota de acordo com o maior fluxo de passageiros. A maior preocupação é para que não ocorra aglomeração dos usuários.

Na empresa Trampolim da Vitória, maior viação da região metropolitana de Natal, que atua ligando Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e Macaíba a capital potiguar, o aumento será gradual, de acordo com o crescimento da demanda. Inicialmente, a empresa vai autorizar que a liberação de até 15 pessoas em pé por veículo nas suas viagens.

Posteriormente, haverá aumento de frota gradual, nas principais linhas que ligam os municípios a Natal. As linhas B (Parnamirim/Natal, via Alecrim), J (Parnamirim/Natal, via Passagem de Areia/Rodoviária), M (Macaíba/Natal, via BR-101), G (Macaíba/Natal, via BR-226), R (São Gonçalo do Amarante/Natal, via Aeroporto/Rodoviária), S (São Gonçalo do Amarante/Natal, via Alecrim) e V (Parnamirim/Natal, via Bosque das Colinas/Via Direta) deverão receber mais veículos para suas operações.

Quem também confirmou o aumento gradual da frota foi a MDC, empresa que atua na ligação do litoral sul com Natal. A empresa já está acompanhando a demanda de passageiros e aumentando a frota aos poucos. De acordo com a empresa, nos horários em que houver maior crescimento da utilização dos ônibus pelos usuários, mais veículos serão disponibilizados. A MDC opera linhas que ligam Tabatinga e Pirangi do Sul a Natal.

Flexibilização

A reabertura gradual da economia no Rio Grande do Norte teve início nesta quarta-feira (1º). Na capital potiguar, Natal, o retorno de parte das atividades ocorreu em 30 de junho. No Estado, a reabertura acontece seguindo o protocolo de segurança estabelecido pelo Governo do RN com base em estudo feito pelo setor produtivo, dividido em quatro fases. Em Natal, a reabertura será realizada em três etapas.

De acordo com a Prefeitura do Natal, na primeira etapa de abertura, passam a abrir as portas serviços de recursos humanos e terceirização; atividades de informação; centros de distribuição e depósitos; serviços sociais; agências de turismo; salão de beleza e barbearias; lojas de até 300 metros quadrados de artigos usados; papelarias, material de escritório, variedades, climatização, bicicletas, plantas e vestuário.

Já no Estado, os primeiros a reabrir serão os pequenos comércios – segundo o Governo, tido como os mais necessitados – e aqueles que têm baixo poder de aglomeração. Após cinco dias, outros tipos de estabelecimento poderão abrir. E com 15 dias encerra-se a primeira onda de reabertura.

Até o fechamento desta matéria, o RN registrou, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, 32.578 casos confirmados do COVID-19 e, infelizmente, 1.095 pessoas faleceram. A boa notícia é que, segundo a SESAP, o Rio Grande do Norte começou a registrar alguns índices que indicam menor pressão sobre o sistema de saúde, além da taxa de transmissibilidade da doença ter o menor índice registrado nas últimas semanas.

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *