Natal: Viaduto do Gancho de Igapó tem 30% da obra concluída

Natal: Viaduto do Gancho de Igapó tem 30% da obra concluída

Por Tribuna do Norte
Foto: Adriano Abreu (Tribuna do Norte)

Uma das obras de mobilidade urbana mais aguardadas pelos moradores da zona Norte de Natal e cidades adjacentes já está com 30% dos seus serviços adiantados. O viaduto do Gancho de Igapó, uma das etapas da obra, já está concluindo os trabalhos relacionados à infraestrutura e mesoestrutura do viaduto e segundo a Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), os trabalhos estão dentro do cronograma e o prazo para entrega do viaduto segue a data inicial, março de 2021.

“A infraestrutura já está toda pronta, as fundações, digamos assim. Estamos concluindo os pilares e pretendemos, até o final de julho, começar a fazer o içamento das vigas. Essas vigas estão lá e é só colocar a placa de concreto e fazer os encontros do viaduto. A próxima fase seria essa. Cada viga dessa são 49 toneladas”, avalia.

De acordo com o general Daniel Dantas, superintendente do Dnit no Rio Grande do Norte, as intensas chuvas que caíram em Natal nos últimos meses não foram fatores que atrapalharam o andamento das obras do viaduto do gancho de Igapó, que acontece nas proximidades da avenida Tomaz Landim. O objetivo da obra é melhorar a mobilidade do fluxo de transportes na zona Norte, o acesso ao Aeroporto Internacional Aluízio Alves e os acessos à BR-406. Atualmente, estima-se que 70 mil veículos trafeguem pela rodovia.

“Apesar das chuvas, e até a situação da pandemia, em que a empresa tenha os procedimentos para adotar com qualquer sintoma e dispensa dos funcionários, o cronograma está dentro do previsto”, disse Dantas. Inicialmente, o Dnit dispunha de um total de R$ 4,5 milhões para tocar o empreendimento, que segundo o general, já foram gastos nos trabalhos realizados até aqui. Segundo ele, o Ministério da Infraestrutura garantiu uma previsão orçamentária de outros R$ 20 milhões até o final do ano para a obra.

O empreendimento completo, além do viaduto, possui uma rotatória e um túnel em formato de Y. A expectativa inicial do Dnit é concluir todas as obras em março de 2021. A rotatória e o túnel só começarão a ser viabilizados após o término da estrutura do viaduto, com previsão para março de 2020. O orçamento total do Gancho de Igapó é de R$ 60 milhões. O empreendimento está sendo executado pela empresa Gaspar S/A.

Licitada em 2014, o Gancho de Igapó só teve sua ordem de serviço assinada em junho de 2016, na gestão passada. Foi a partir daí, por exemplo, que as primeiras fases da obra começaram a ser executadas, como as desapropriações, supressões vegetais, pavimentação e sinalização dos desvios de tráfego e relocação de interferências. Em outro momento, o Dnit precisou fazer as demolições, remover os entulhos e realocar partes das redes concessionárias, como dutos da Potigás e da Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern).

Com relação as desapropriações necessárias para o andamento, da obra, foram necessárias 37 demolições de imóveis no trajeto por onde passa a obra, que custaram aos cofres públicos um total de R$ 10 milhões. Segundo o superintendente general Daniel Dantas, há previsão no projeto para outras quatro demolições, mas o Dnit trabalha com a possibilidade dessas desapropriações não serem necessárias.

“Por enquanto não foram necessárias novas demolições. Estamos visualizando e talvez essas outras três não sejam necessárias. Estamos esperando terminar o viaduto para fazer adequações”, avaliou.

Trânsito: Para iniciar as obras no Gancho de Igapó, o Dnit precisou fazer uma série de modificações no trânsito nas redondezas da avenida Tomaz Landim, para garantir que o tráfego não fosse afetado de forma significativa. Diante do cenário, na avenida estão circulando apenas ônibus do transporte público e veículos oficiais.

“Viabilizamos aquela passagem pela Tomaz Landim, do corredor de ônibus, para os transportes coletivos. Mas tem muito motorista que se aventura por ali e atrapalha o coletivo”, disse.

No começo de março, quando o Dnit passou a alterar o fluxo na zona Norte. Nas ruas Henrique Dias e Ponte Nova, o fluxo passa a acontecer de forma binária, isto é, no sentido único para quem busca o Aeroporto Internacional Aluízio Alves ou adjacências de São Gonçalo do Amarante. Para quem se desloca no sentido Centro de Natal, as ruas Vivaldo Pereira e Santa Luzia também vão operar em mão única. Para condutores que saem do Aeroporto em direção à São Gonçalo do Amarante, a sugestão é ir pela rua Criciúma, em sentido único.

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *