Motorista e empresária rifa um ônibus da sua frota para sobreviver a crise econômica

Motorista e empresária rifa um ônibus da sua frota para sobreviver a crise econômica

Do OnTruck
Fotos: Reprodução

Dirigir veículos de grande porte não é fácil, o universo que era predominantemente masculino agora está também um pouco mais fashion. As mulheres cada vez mais ocupam o seu espaço no segmento de transporte. O portal On Truck já entrevistou diversas caminhoneiras batalhadoras, e na reportagem desta semana, o portal traz mais uma guerreira, mas ao invés de dirigir caminhão, ela dirige ônibus há mais de 10 anos.

A história de Lorrainy Novaes, que mora na cidade Sarzedo-MG, começou no mundo das estradas do Brasil com muito amor e dedicação. Ela conheceu o seu marido Luiz Carlos, que era empresário e tinha uma empresa de ônibus. Foi nesse momento que Lorrainy se apaixonou pela profissão de motorista. “Ele já tinha uma empresa de ônibus e eu comecei a conhecer esse mundo. Amei tanto que não consigo parar. Falo até que tenho diesel na veia”, falou com empolgação.

Infelizmente, há 1 ano e seis meses o marido de Lorrainy faleceu. No entanto, ela continuou tocando a empresa deles, a Expresso Neiva, que trabalha com transporte escolar, fretamento e turismo.

A motorista e empresária conta como surgiu a vontade de dirigir ônibus pelas rodovias brasileiras. ” Tudo começou quando vi a dificuldade do meu marido com motoristas. Então, tirei minha carteira motorista arregacei as mangas e fui para luta junto com ele. E, não parei mais”, destacou Lorrainy, que mostrou toda a sua garra e determinação para alcançar os sei objetivos.

Ela fala do marido com emoção e carinho e ainda relembra sua primeira viagem dirigindo um ônibus, que foi com destino a Aparecida do Norte -SP. ” Minha primeira viagem foi com meu marido. Foi incrível e eu amava dirigir de dupla com ele. Falo que Deus me preparou durante esses 13 anos de profissão porque sabia que meu marido ia partir”, disse.

Lorrainy é mãe de dois filhos e conta que após a morte do marido preferiu ficar trabalhando apenas com transporte escolar. “Meu marido foi um grande companheiro e deixou um legado para gente seguir em frente. Hoje vivo com meus dois filhos Luiza de 8 anos e Luan de 15 anos. Vivemos grudadinhos e depois que o meu marido faleceu fiquei só trabalhando com transporte escolar, para ficar mais próximo deles. Somos felizes, porém incompletos após a morte do meu marido”, afirmou Lorrainy.

Sobre os desafios da profissão Lorrainy citou o preconceito. “Desafios existem, claro. Antes havia o preconceito por eu ser mulher. Hoje já é mais tranquilo. As pessoas respeitam mais. Já não há tanto preconceito. Atualmente as pessoas até se orgulham por fazer uma viagem com uma motorista”, disse.

Ela também fez questão de destacar que é muito feliz na profissão. “Sou muito feliz na minha profissão. Tanto que não considero um trabalho mas sim uma diversão”.

Como é uma mulher guerreira e determinada, Lorrainy fala ainda sobre os planos para o futuro. “Quero comprar futuramente uma carreta. Aí vai ser só alegria”, ressaltou.

No entanto, Lorrainy teve que parar com os seus planos diante da chegada da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Como todo o setor privado, empresa de Lorrainy também foi atingida. “Faz quatro meses que a empresa está parada”.

Mas, Lorrainy encontrou uma solução para tentar driblar esse período de crise econômica. Ela está rifando um dos ônibus da sua frota.

Quem tiver interesse em ajudar é só comprar a rifa pelo wattsapp (31) 99628-2761. Pode enviar uma mensagem para whatsapp e você recebe uma mensagem de texto automática constando os dados bancários de uma conta poupança. Após efetuar o pagamento de quantas cotas quiser é necessário enviar o comprovante, para seguir com atendimento e escolher o número da rifa.

O regulamento está no Feed do instagram @LorrainyBus e tem o vídeo mostrando o ônibus e explicando sobre a rifa no canal do YouTube @LorrainyBus.

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *