PE: Secretário promete faixas exclusivas para ônibus entre cidades para ajudar a resolver superlotação

PE: Secretário promete faixas exclusivas para ônibus entre cidades para ajudar a resolver superlotação

Do G1 PE
Foto: Rafael Fernandes (Gentilmente cedida ao UNIBUS RN)

A solução mais rápida para melhorar a superlotação dos ônibus no Grande Recife é a consolidação das faixas exclusivas para o transporte público entre diferentes cidades, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação de Pernambuco, Marcelo Bruto, em entrevista nesta segunda-feira (17).

“Em curtíssimo, prazo a melhor forma de melhorar essa conexão é melhorar a fluidez nas vias, sem grandes investimentos públicos. Consolidar, a partir de Joana Bezerra em direção à Olinda, o corredor de faixa exclusiva da Agamenon Magalhães. E também no sentido de Boa Viagem, passando pela Domingos Ferreira e Jequitinhonha, e chegar até Jaboatão”, disse.

De acordo com o secretário, essa ação já vem sendo discutida com os prefeitos da Região Metropolitana para ser implementada.

“O prazo que Olinda nos passou é que poderia iniciar agora neste mês de agosto. Com Jaboatão, leva um pouco mais de tempo, mas acredito que até o final do ano é viável, porque depende de algumas obras de saneamento na região da Avenida Ayrton Senna”, afirmou o secretário.

Segundo a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), a capital pernambucana possui cerca de 62 quilômetros de corredores exclusivos para o uso do transporte público. Desse total, 40 quilômetros são de Faixa Azul, localizadas nas avenidas Recife, Mascarenhas de Moraes, Herculano Bandeira/Engenheiro Domingos Ferreira, Conselheiro Aguiar, e nas ruas Real da Torre e Cosme Viana.

Frota em circulação: O contingente de ônibus em circulação hoje no Grande Recife é de 70%, cerca de 1,7 mil veículos. De acordo com o secretário, aumentar a frota só é possível se a demanda pelo transporte público aumentar.

“A gente teve uma redução na demanda que ficou na faixa de 30% no período mais agudo da pandemia. Retornou a 50%. […] E, depois, retomamos até 70%. A gente gostaria de ir além disso, mas isso depende muito de conseguir uma retomada de financiamento na medida em que a demanda aumenta”, afirmou Bruto.

O secretário disse que o estado de Pernambuco já gasta o limite disponível para subsídios no transporte público, mas explicou que há maneiras de fazer isso no âmbito federal.

“Sobretudo em função dos efeitos da pandemia, que afetou todos os sistemas de transporte, temos a perspectiva de discussão e deliberação nas próximas semanas no Congresso Nacional de um projeto de lei, no qual o governo federal, pelo menos nesse período pós-pandemia, aportaria novos recursos na mobilidade urbana, tanto para estados quanto para municípios”, declarou.

O projeto citado pelo secretário está previsto para ser votado na Câmara dos Deputado e prevê a liberação de R$ 4 bilhões para socorrer empresas que operam o transporte público em regiões com mais de 200 mil habitantes em todo o país.

Escalonamento de horários: Um escalonamento de horários entre os diversos setores da capital pernambucana foi proposto pelo diretor de inovação do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE), Marcelo Bandeira. De acordo com ele, essa é a maneira mais simples e eficaz de lidar com o problema da superlotação do transporte público em meio à pandemia.

Segundo o secretário Marcelo Bruto, as discussões sobre escalonamento começaram a ser discutidas já nos meses de abril e maio. “Começamos a adotar orientações para que os empregadores adotassem horários mais flexíveis”, afirmou, alegando ainda que “não é simples, não é trivial e envolve a adaptação diferentes segmentos produtivos a uma realidade”.

Os setores da construção civil e do comércio varejista, afirmaram que a mudança no funcionamento dos seus segmentos não é possível por conta o trabalho que desempenham e do público que atendem. O setor da segurança privada condicionou a antecipação do expediente dos seus trabalhadores à disponibilidade de transporte público.

O Movimento Pró-Pernambuco, iniciativa multissetorial criada para reduzir os impactos econômicos negativos causados pela pandemia da Covid-19 em diversos setores produtivos, afirmou que realiza ainda em agosto uma pesquisa para entender o perfil do usuário de transporte público, para propor novas soluções.

Com o registro, no domingo (16), de mais 1.185 casos da Covid-19 e 32 óbitos por causa da doença, Pernambuco totaliza 112.958 pessoas infectadas pelo novo coronavírus e 7.188 mortes. Esses números começaram a ser contabilizados em março, no início da pandemia no estado.

Compartilhe esta matéria

Redação UNIBUS RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *