Pessoas com coronavírus são 0,03% dos usuários de ônibus em Curitiba

Da URBS
Foto: Luiz Costa/SMCS

Desde dia 26 a prefeitura de Curitiba vem bloqueando o cartão de transporte de quem testa positivo para covid. Foram 230 cartões desabilitados, número considerado baixo

Para evitar contágios, desde a sexta-feira (26) a prefeitura de Curitiba vem bloqueando o cartão de transporte das pessoas que testam positivo para covid-19. A regra vale para todos os tipos de cartões – usuário, isento, idosos e estudantes -, e o cruzamento de informações sobre infectados é feita com base em dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Agora, a Urbanização de Curitiba (Urbs), que opera o transporte da capital, informou que de sexta até esta segunda-feira (29) desabilitou 230 cartões de transporte de usuários com diagnóstico positivo de coronavírus. O número representa 0,03% do total de 674 mil passageiros que usaram o transporte coletivo nesse período.

Para o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, a medida, além de evitar que as pessoas com covid-19 saiam de casa, ajuda a monitorar o risco de contaminação no transporte coletivo da capital.

Risco baixo

“A boa notícia é que 230 usuários com covid-19 é um número muito baixo frente ao total de passageiros. Mesmo se consideramos apenas o universo de cartões, que é usado por 60% dos passageiros, o número de diagnosticados com covid-19 representa 0,05%”, diz o presidente da Urbs. “Isso mostra que o risco de contaminação no transporte coletivo está baixo”, acrescenta.

Dos 230 usuários diagnosticados com covid-19, apenas 32 tentaram furar o isolamento e passar o cartão na catraca. Quem está na lista restritiva de cartões desabilitados e tenta passar na catraca “queima” o cartão ao encostá-lo no validador.

Nesse caso, essas pessoas precisarão, passados os sete dias de isolamento, desbloquear o cartão pessoalmente na Urbs, após agendamento pelo site da Urbs.

“Para quem cumpriu a quarentena em casa não há necessidade de preocupação porque, após os sete dias, o cartão é desbloqueado automaticamente”, explica o presidente da Urbs.

Fique em casa

Pela nova regra, iniciada na última sexta-feira (26), quem tem suspeita de diagnóstico de covid-19 é atendido na rede pública ou privada de saúde e assina um Comunicado de Isolamento Domiciliar, comprometendo-se a permanecer em casa por dez dias.

A partir do resultado positivo do teste PCR, realizado em torno do terceiro dia de início dos sintomas, o cartão do transporte é desabilitado por sete dias.

Cartão transporte é desabilitado temporariamente caso o passageiro tenha covid-19. Foto: Daniel Castellano/SMCS

Levantamento

O bloqueio está sendo possível graças ao cruzamento dos dados do CPF dos diagnosticados com os CPFs dos usuários de cartões-transporte na capital. Foram cruzados dados de 4.720 pessoas diagnosticadas na capital. Desses, 2.820 possuíam cartão de transporte, mas apenas 230 com cartão ativo e uso frequente.

Segundo a Urbs, os cartões representam mais de 60% do meio de pagamento no transporte coletivo. Atualmente são 1,8 milhão de cartões-transporte usuário, 170,3 mil cartões do idoso, 15,5 mil isentos e 772 de estudantes ativos na capital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.