AL: Funcionários da CBTU terão atendimento psicológico gratuito para ajudar a enfrentar as consequências da tragédia da Braskem

Da CBTU
Foto: Divulgação (CBTU)

O afundamento do solo em diversos bairros de Maceió, principalmente em Bebedouro, Bom Parto e Pinheiro, causado pela exploração de salgema pela Braskem, trouxe uma série de consequências para a população não só de Maceió como da região metropolitana da capital alagoana. Além de deixar totalmente deserta uma região formada por bairros históricos, com casarões centenários considerados patrimônio cultural, e desalojar milhares de famílias, os tremores e afundamentos obrigaram a CBTU – Companhia Brasileira de Trens Urbanos, por determinação da Defesa Civil, a reduzir e a alterar o formato do trecho que ligava o Centro de Maceió a outros dois municípios como Satuba e Rio Largo e o distrito de Fernão Velho.

O VLT, que era um dos principais meios de locomoção da população dessa região em deslocamento para Maceió, foi afetado com essas mudanças. A população foi atingida drasticamente e os funcionários da CBTU também. Muitos passaram a apresentar sinais de desconfortos psicológicos em virtude de ter sua rotina de trabalho alterada, presenciar o desmonte dos bairros, ao passar pela região afetada, e viver a angústia da insegurança e instabilidade de perder o emprego, já que a tragédia também causou a diminuição da quantidade de usuários.

A superintendência de Trens Urbanos de Maceió, atendendo ao pedido do Sinfeal – Sindicato dos Trabalhadores de Empresas Ferroviárias de Alagoas, ao mesmo tempo em que acolheu a demanda do setor de Recursos Humanos da CBTU, que passou a receber diversos colaboradores pedindo ajuda para tratamento psicológico, decidiu firmar parceria com o sistema SEST SENAT – Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte para oferecer gratuitamente atendimento psicológico para os trabalhadores que sentirem necessidade desse tipo de tratamento.

Terapia: O Grupo Terapêutico – Acolhendo a Ansiedade – foi criado com o intuito de acolher essa necessidade e terá oito semanas de terapia, uma hora por semana, sempre das 16h às 17h, dentro do expediente de trabalho.

O atendimento é gratuito e a inscrição deve ser feita com a psicóloga Danielle Menezes, no setor médico da CBTU até dia 30 de junho. O primeiro grupo vai iniciar dia 02 de julho. A superintendência disponibilizou transporte para levar aqueles que necessitem de condução até o local do encontro presencial que será na sede do SEST SENAT – Rua Edilson Lins de Araújo – 500 – Serraria (Murilópolis).

Segundo Danielle Menezes, a empresa está preocupada com o aspecto emocional dos funcionários, “haja vista que o impacto dessa tragédia causada pela Braskem é muito significativo. Não temos o poder de alterar o que aconteceu, mas podemos ajudar os nossos trabalhadores a lidar com esse sentimento, buscando novas formas de fortalecimento interior, de maneira que as aflições e a ansiedade possam ser administradas de uma forma menos traumática”, disse.

As sessões de terapia ocorrerão em grupo de até 10 pessoas, respeitando todos os protocolos de distanciamento social e medidas de higiene. Caso haja necessidade, novos grupos poderão ser abertos.

Para o superintendente de Trens Urbanos, Carlos Jorge, a direção da CBTU entendeu a gravidade desse problema e o quanto tem afetado todos os colaboradores. “Estamos dando total apoio ao nosso Recursos Humanos para que seja viabilizada essa demanda. É uma forma efetiva de amenizar o sofrimento de todos. Estamos vivendo dias muito difíceis e como gestor, tenho obrigação de cuidar da nossa equipe”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.