Carros populares sobem até 5 vezes mais que a inflação

Por Automotive Business
Foto: Ivan Bueno (Fotos Públicas)

O sonho do carro novo está cada vez mais distante: nem os modelos de entrada têm escapado dos frequentes aumentos de preço das tabelas das montadoras, em geral muito acima da inflação, como revela um levantamento feito pela KBB Brasil, empresa especializada em cotações.

O estudo mostra que o automóvel mais barato do Brasil atualmente sai por R$ 44 mil. É o valor de um Fiat Mobi Easy, que começou este ano custando R$ 38 mil e agora está R$ 6 mil mais caro, o que representa uma variação de 15,8%.

Mas esse não é o maior aumento de preço entre os 10 modelos mais baratos do mercado nacional, como comprova a lista abaixo da KBB, que comparou a tabela dos veículos novos de janeiro de 2021 com a de junho. Nesse ranking, o maior acréscimo foi o de outro modelo popular, o Fiat Argo 1.0: o hatch saltou de R$ 53,99 mil para R$ 64,9 mil em um semestre. Ou seja, em apenas seis meses ele subiu quase R$ 11 mil, um reajuste de 20,2%.

Analisando os 10 modelos dessa lista, percebe-se que a diferença entre os reajustes é grande, mas na média o grupo ficou cerca de 11% mais caro. Ainda assim, essa variação é bem maior do que a inflação. Embora a taxa oficial de junho ainda não tenha sido divulgada pelo IBGE, a prévia da inflação pelo IPCA-15 indica um índice de 4,13% neste ano. Isso significa, portanto, que os carros mais baratos do Brasil subiram quase três vezes mais que a inflação, enquanto o Argo subiu quase cinco vezes mais.

De acordo com analistas do mercados, os principais responsáveis pelo aumento de preço dos carros 0 km são o aumento de preço dos insumos usados na fabricação dos veículos e a crise dos semicondutores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.