Especial UNIBUS RN: O que se passa em uma reunião para a apresentação das novas linhas de ônibus de Natal?

Por UNIBUS RN
Fotos: Andreivny Ferreira (UNIBUS RN)

18 de outubro de 2021, 18:30. Quem estava passando em frente à Escola Municipal Maria Cristina Ozório Tavares e percebeu um número de carros acima do normal estacionados viu que havia uma movimentação diferente naquele prédio. Movimentação essa que faz parte de uma ação que pode definir, nos próximos anos, o desenvolvimento econômico e o futuro de Natal.

A grandiosa escola, localizada no bairro de Felipe Camarão, na zona oeste da capital potiguar, era palco de mais uma das reuniões de apresentação da nova rede de transporte público que será implantada em breve na cidade. Um evento em que os presentes puderam conhecer como o natalense se locomoverá usando o ônibus após a tão esperada licitação para a operação do serviço.

Nossa equipe esteve presente nesse encontro e, nessa edição do Especial UNIBUS RN, contamos para você como é a sensação e o que se passa em um evento que está ajudando a definir os rumos de um serviço fundamental para o desenvolvimento da maior cidade do Rio Grande do Norte.

Chegando ao local: O UNIBUS RN foi recebido pela assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, organizadora da série de reuniões nos bairros da cidade, e se acomodou de modo a não atrapalhar a condução do evento. Nossa equipe utilizou máscara de proteção e procurou manter o distanciamento social, além de praticar os protocolos de proteção à COVID-19.

Na quadra da escola, estavam moradores, usuários dos ônibus e líderes comunitários dos bairros de Felipe Camarão, Cidade Nova, Cidade da Esperança, Nova Cidade e Nazaré. Todos ansiosos para conhecerem a proposta da STTU e darem suas sugestões, elogios ou críticas ao que se pretende implantar na cidade.

O andamento da reunião: Às 18:45, tem início o evento. Quem começa os trabalhos, em meio a uma quadra que não está totalmente cheia, é a recém nomeada titular da STTU, Daliana Bandeira. A engenheira, que assumiu o posto no início do mês após a saída do economista Paulo César Medeiros, agradeceu a presença de todos ali e ressaltou que as modificações deveriam ser visualizadas com bons olhos pelos usuários, já que representam, segundo ela, uma importante mudança na forma como o transporte público é visto na cidade.

“Essa rede foi pensada tanto para o transporte por ônibus quanto para o transporte opcional. É uma rede baseada na integração, que está muito forte nesse modelo. Mas, é uma rede que a STTU vai providenciar toda uma infraestrutura para que a integração seja feita com conforto e segurança. Hoje em dia, é até difícil conseguir imaginar que uma rede assim vai funcionar, porque a população não confia mais no serviço. O transporte público hoje está deficitário. Então, pra gente chegar aqui hoje e dizer ‘você vai ter que integrar’, o que se passa [como resposta] na cabeça do usuário? ‘Integrar como? Eu não tenho nem abrigo. Eu não tenho segurança nas paradas. O ônibus demora 40 minutos pra passar. Como ter que fazer integração?’. Por isso que eu peço que vocês assistam essa apresentação visualizando um novo, e não o atual”, disse Daliana.

Em seguida, assume o microfone o assessor técnico da STTU, Alan Victor. Sua explanação se inicia com as linhas de Felipe Camarão, onde ocorre o encontro. No burburinho entre os presentes, há um misto de aprovação e rejeição da proposta – afinal de contas, o que é proposto pelo órgão mexe diretamente na operação do terminal de ônibus com o maior número de linhas de origem e destino da cidade.

Em pouco mais de uma hora, Alan apresentou todas as linhas de ônibus que passarão a atender Felipe Camarão, Cidade Nova, Cidade da Esperança, KM 06 e Jardim América, dando ênfase, nessas apresentações, a melhorias que a população pode sentir ao usar o ônibus – um exemplo é a linha que atenderá o Jardim América, onde é prometido um intervalo de, no máximo, 20 minutos no horário de pico, o que mais do que dobraria, segundo o material apresentado, a oferta de transporte público no conjunto.

Em sua fala, o técnico da STTU que conduziu a apresentação aproveitou para esclarecer que as chamadas Linhas Estruturais terão curto intervalo entre os ônibus – no exemplo mostrado, as linhas do terminal da Cidade da Esperança passariam a cada 5 minutos no horário de pico – e indicou como seria possível garantir essa menor espera para o usuário.

“A STTU está trabalhando com [a implantação e/ou revitalização de] corredores exclusivos. Por exemplo: Na Avenida Capitão-Mor Gouveia, há hoje uma subutilização do corredor [de ônibus]. Com essa nova rede, será dada uma melhor utilização para o corredor. [O sistema binário, com a Rua Jerônimo Câmara] é muito bem estruturado, com pista de concreto disponível, mas que hoje é usado por poucas linhas, que possuem um intervalo entre os ônibus elevado. Como mostrei aqui, no mínimo, 3 Linhas Estruturais passarão no sistema binário. Vamos trabalhar para dar mais utilização aos corredores, pois com eles o passageiro conseguirá ir muito mais rápido para diversas áreas da cidade, diferente do que o que acontece hoje na Mor Gouveia, por exemplo. Ou seja: daremos maior eficiência, usando os corredores que a cidade já dispõe e que serão usados de maneira melhor”, disse.

Outros detalhes sobre a implantação do novo sistema foram explanados, como a estrutura dos terminais que são prometidos pela prefeitura – que não serão no modelo das antigas Estações de Transferência –, a inclusão dos veículos do transporte opcional nessa nova rede e detalhes superficiais sobre o edital de licitação do transporte público, previsto para ser divulgado em novembro.

Especificamente sobre os pontos adicionais da apresentação do novo sistema, o anúncio mais importante feito pela STTU é em relação a integração temporal: de acordo com o material apresentado aos presentes na reunião, a atual regra para o uso do benefício não será mantida com o novo sistema de linhas. Não foram apresentadas as regras que serão utilizadas no novo sistema.

Discussão da população: Terminada a apresentação, foi passada a palavra para quem quisesse tirar dúvidas, fazer críticas ou sugestões.

Praticamente todos os inscritos aproveitaram o microfone disponível para fazerem críticas ao modelo que fora apresentado pela STTU. Uma dessas pessoas é João Maria Gomes, funcionário público que mora em Felipe Camarão. Ele avaliou a proposta das novas linhas como uma “balela” e relatou que terá mais dificuldades para chegar ao seu local de trabalho, o Hospital Municipal de Natal, em Petrópolis. “Para sair de Felipe Camarão e ir pro centro, vou ter de parar na Esperança pra pegar outro ônibus? Isso é um grave problema. Ou tomamos uma providência agora, ou então a população será mais uma vez penalizada. A equipe do prefeito veio botar a corda no pescoço da população mais carente”, disse.

Um dos inscritos para dar sua contribuição às discussões foi o vereador Raniere Barbosa (AVANTE). O parlamentar estava presente representando a Comissão de Finanças, Orçamento, Controle e Fiscalização da Câmara Municipal – Raniere é presidente desse colegiado – e dedicou sua fala a pedir para a titular da STTU manter “pulso firme” em sua atuação, destacando para os presentes que há grande aprovação do trabalho de Daliana Bandeira entre os vereadores.

Em entrevista ao UNIBUS RN, Raniere fez uma avaliação dessa série de reuniões promovida pela STTU e explicou como os vereadores estão acompanhando essa ação pela cidade. “É importante sim fiscalizar as ações do poder executivo, já que a Lei Orgânica do Município dá essa prerrogativa para que o Poder Legislativo cumpra sua missão e o seu dever. E, claro, ouvir a população, acima de tudo, é muito importante. O consumidor do transporte público é a população. É muito importante ouvir quem vai usar o transporte para que, de acordo com o que as pessoas reclamam, reivindicam, os técnicos possam desenvolver um projeto que tenha viabilidade econômica e que atenda, acima de tudo, a necessidade da população”, disse o parlamentar.

No final: Terminada a reunião, por volta das 21:00, enquanto a população ia saindo do local, o UNIBUS RN procurou medir a repercussão do que havia acabado de ocorrer em Felipe Camarão.

“Esse modelo vai prejudicar muito mais a população, que já está prejudicada hoje pela retirada de tantas linhas pela cidade. Eliminar esses terminais e concentrar tudo na Cidade da Esperança não vai ser bom”, disse João Maria Gomes, reiterando sua insatisfação com o que viu no encontro.

Quem também não saiu satisfeito do encontro foi Marcos Raimundo, líder comunitário do Conjunto Morada Nova, em Felipe Camarão. “Já vimos um projeto parecido com esse há mais de 10 anos. E não funcionou. Por qual motivo? Os empresários não fizeram cumprir o que estava no acordo [projeto]. Esse sistema até poderá funcionar. Mas, vai ser complicado. No meu caso, quando eu for trabalhar na região da Arena das Dunas, vou ter de fazer duas integrações. Ou seja: Em vez de pegar um ônibus direto, vou fazer uma rota mais distante para chegar no meu trabalho. E sem contar que não existe garantias de que as empresas cumprirão isso”, reclamou.

Já Raniere Barbosa disse que continuará cobrando o andamento das modificações que foram anunciadas pela STTU e a continuidade do processo de licitação do transporte público. “[Vou] cobrar do poder executivo que faça a licitação do transporte público. Também vou cobrar que haja a melhoria possível para o sistema de transporte. E que melhoria é essa? Ter ônibus de qualidade, ter ônibus acessíveis, ter paradas de ônibus confortáveis para a população, ter um sistema de integração que não onere a população – que seja uma integração justa”, explicou o vereador.

A titular da STTU reconheceu a importância desses encontros nas comunidades e, em entrevista para o UNIBUS RN, fez um balanço do que já ocorreu nas reuniões anteriores. “Esse foi o décimo encontro nas comunidades, de um total de 16. Você conseguiu perceber aqui uma certa resistência da população em aceitar essa proposta do redesenho das linhas. A gente compreende essa resistência, devido a essa situação de hoje do sistema, o que faz com que o usuário perca a esperança em usar um sistema que entendo que vai ser benéfico para a cidade”, disse Daliana, que finalizou apostando que essa nova forma de oferecer o transporte público na cidade trará benefícios para os passageiros.

“[Esse novo sistema] vai ter sucesso e vai ser satisfatório para o usuário, pois é um sistema que oferecerá uma maior frequência nas viagens. Vai ter linha que terá intervalo de 5 minutos no horário de pico, por exemplo. Vai ter também um aplicativo que mostre os horários dos ônibus, para que o passageiro só saia de casa sabendo em quantos minutos que embarcará. Vamos continuar nessa caminhada, junto à população e escutando a população, pois, mesmo que seja uma rede montada pelos técnicos da STTU, não é uma proposta fechada: quero escutar as pessoas, ver as contribuições pela internet, pois analisamos essas sugestões e vamos fazendo os ajustes que forem saudáveis para essa nova rede do transporte público de Natal”, disse Daliana Bandeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.