Estudantes protestam contra tarifa no ônibus circular da UFRN e STTU diz que gratuidade deve ser retomada em 2022

Do G1 RN
Foto: Matheus Felipe

Estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte fizeram um protesto em frente à Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal, na manhã desta quinta-feira (2), contra a cobrança de tarifa que passou a ser feita pelos ônibus da linha Circular da UFRN.

A linha começou a cobrar passagem de R$ 3,20 nesta quarta-feira (1º). Até então, o serviço era gratuito subsidiado pelas demais passagens pagas no transporte público da capital potiguar.

A pasta afirmou que a cobrança é necessária para garantir o “equilíbrio” da operação, por causa da redução de passageiros no sistema de transporte público da cidade.

Em entrevista a secretária Daliana Bandeira disse que a previsão é que a gratuidade seja retomada com a volta de 100% das aulas em 2022.

Estudantes se dizem surpresos: A mudança pegou os estudantes de surpresa e, por isso, um grupo se mobilizou em frente à sede da secretaria, na Ribeira, Zona Leste da cidade, por volta das 10h30 desta quinta (2).

Após a manifestação, representantes da secretaria solicitaram que o grupo elegesse cinco pessoas para participarem de uma reunião com os gestores. Até a publicação desta matéria, o grupo pedia que o número de representantes fosse ampliado para 10.

Letícia Correia, estudante de Direito, disse que mora da Zona Norte de Natal e que não terá acesso à integração prometida pela prefeitura, porque já utiliza o benefício antes de chegar ao shopping Midway Mall.

“Eu sou bolsista da UFRN, recebo um auxílio e já é quase totalmente para o transporte, porque tenho que pegar de dois a três ônibus para chegar à universidade. E dessa forma a integração não me contempla de maneira alguma. Na verdade é um gasto a mais para os estudantes, que vai afetar especialmente os mais vulneráveis socioeconomicamente”, afirmou.

Ela também ressaltou que muitos estudantes e servidores usavam o ônibus para transporte entre setores da universidade.

Lorran Silva é estudante de história, e mora na residência universitária. “Eu recebo R$ 400 de bolsa, o que já é pouco. Então é impossível pagar a tarifa. Isso também impossibilita o transporte de quem vem da Zona Norte, de outras cidades da região metropolitana e do interior do estado”, afirmou.

Gratuidade deve ser retomada, diz secretária: A secretária Daliana Bandeira reconheceu que houve falha na comunicação aos estudantes, mas disse que a proposta é que a gratuidade volte a acontecer em 2022, com a retomada de 100% das aulas presenciais e da frota completa do sistema de transporte. A previsão dela é que isso ocorra entre fevereiro em março do próximo ano.

“Realmente houve uma falha de comunicação da Secretaria com a classe estudantil, mas posso afirmar que dentro das inúmeras reuniões que tivemos com representantes da universidade foi falado dessa proposta de integrar a bilhetagem eletrônica. A ideia é que no momento é que as aulas voltem, volte a gratuidade, como era antes”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.