Comissão de Transportes debate fim da gratuidade da linha Circular da UFRN

Da Câmara Municipal do Natal
Foto: Matheus Felipe (Gentilmente cedida ao UNIBUS RN)

A Comissão de Transportes, Legislação Participativa e Assuntos Metropolitanos da Câmara Municipal de Natal promoveu uma reunião extraordinária nesta segunda-feira (13) para debater com estudantes, representantes das empresas do transporte coletivo e do Executivo municipal sobre a retirada da gratuidade da linha circular do campus universitário.

“Estamos para intermediar e ajudar no diálogo. Mesmo que não tenhamos uma solução de imediato, estamos abertos para ajudar a dialogar e encontrarmos uma solução”, destacou o presidente da comissão, vereador Milklei Leite (PV). “Gostaríamos de nos somar a esse debate e a gente acha que esse fórum de debate é lugar de encontrar uma solução. Caso não, vamos continuar lutando porque não é justo que o estudante pague por esse problema”, disse a vereadora Divaneide Basílio (PT).

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Natal (Seturn), que representa as seis empresas que operam na cidade, devolveu a linha circular 588 e mais 22 linhas, alegando desequilíbrio financeiro do sistema, devido à queda no número de passageiros. “Ficamos numa situação que precisávamos dar um atendimento emergencial aos alunos. A secretaria implantou então a linha alimentadora que opera dentro do sistema de bilhetagem garantindo gratuidade apenas para quem consegue fazer integração de outras linhas. Na nova rede que estamos elaborando há previsão de retornar ao que era antes com a recuperação do sistema e com o retorno das aulas presenciais na universidade”, disse a Secretária de Mobilidade Urbana de Natal (STTU), Daliana Bandeira.

O assessor técnico do Seturn, Nilson Queiroga, argumentou que a entidade está aberta a dialogar e encontrar uma saída. “Mas a responsabilidade e a apresentação de uma solução cabe ao município. O que defendemos é que o desequilíbrio tem que ser coberto por subsídio, como ocorre em outras cidades”, disse ele.

Para os estudantes, ficar sem uma solução gera insegurança e dificulta o acesso à universidade. “Eram quatro linhas diferentes circulando no campus em oito ônibus diferentes e não dava conta da demanda. Agora a proposta é de voltar um ônibus alimentador somente até as 20h passando por hora como se fosse resolver”, destacou o coordenador do Diretório Central dos Estudantes (DCE-UFRN), Lorran Silva.

A estudante Raquel Rocha relatou que o acesso à educação já é uma dificuldade para muitos jovens e sem uma linha circulando dentro do campus de forma gratuita dificulta ainda mais. “Nosso papel enquanto estudantes é lutar e reivindicar. Cobrar uma tarifa abusiva para estudantes que passam por dificuldade, que não têm emprego, dificulta o acesso à educação. O circular gratuito é um direito básico para se ter acesso dentro do campus”, pontuou.

A vereadora Brisa Bracchi (PT) e os vereadores Robério Paulino (PSOL), Eribaldo Medeiros (PSB) e Pedro Gorki (PCdoB) também participaram da reunião. A secretária da STTU se comprometeu a apresentar uma proposta aos estudantes na próxima semana após reunião com o Gabinete Civil do Município.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.