Mercedes-Benz concentra esforços para ampliar as exportações de ônibus

Da Revista Technibus
Foto: Divulgação (Mercedes-Benz do Brasil)

Como alternativa para reequilibrar a produção e compensar a lenta recuperação do mercado brasileiro depois do grande impacto causado pela pandemia da Covid-19, a Mercedes-Benz tem concentrado seus esforços na prospecção de novos mercados externos.

Estreitar o relacionamento com seus escritórios regionais, apoiando-os em várias negociações e em eventos on-line a fim de divulgar produtos, peças e serviços, tem permitido à empresa estudar as demandas dos clientes para facilitar o atendimento de acordo com as suas necessidades.

“Durante a pandemia o mercado de ônibus sofreu uma queda brusca em todos os segmentos. Agora, gradualmente, alguns setores estão retomando suas atividades, como turismo, fretamento e urbano. A Mercedes-Benz está preparada para esse aumento de demanda, tanto para a América Latina quanto para os países que atende nos demais continentes”, disse Maurício Yamamoto, gerente sênior do Centro Regional Latina Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

Em 2021, a Mercedes-Benz do Brasil exportou 3.129 ônibus, com aumento de 13,3% em relação ao mesmo período de 2020, quando foram exportados 2.761 veículos. No primeiro quadrimestre de 2022, as exportações atingiram 873 ônibus, o que significa uma queda de 19,5% em relação aos 1.085 ônibus exportados de janeiro a abril de 2021.

As exportações mais recentes da Mercedes-Benz foram para o Uruguai (modelo OF 1724), Gâmbia (modelo OF 1730), Chile (modelo O500 RS) e México (modelo O500 MA).

Atualmente, os principais mercados externos da Mercedes-Benz são Chile, Colômbia e Uruguai, que têm se destacado em 2022 com grandes demandas. O Egito também se destaca para os negócios, onde empresa vendeu em março deste ano seis unidades do chassi OH 1626L.

Em cada localidade, a empresa informa que conta com parceiros de negócios e representantes que possuem vasta experiência nos mais variados mercados de ônibus. Na América Latina, eles estão em quase todo continente. Na Austrália, Cingapura, África do Sul e Dubai mantém seus escritórios regionais.

A adaptação dos ônibus é feita conforme as necessidades dos clientes e de acordo com o mercado em que estão inseridos, levando em consideração as questões comerciais, de engenharia e de homologação dos produtos, a fim de verificar a melhor maneira de atendê-los, de acordo com as suas demandas.

Em seu portfólio, a Mercedes-Benz disponibiliza chassis para as mais diversas especificações e legislações. No Chile, o modelo O 500 1936 é o destaque e já circula por toda a cidade de Santiago. No Peru, o OF 1730 é carro-chefe, e na Argentina, o OF 1621 é o mais demandado neste ano.

“O diferencial da marca é entender a operação dos clientes e oferecer produtos e serviços adequados para as mais diversas aplicações, como o segmento de urbanos, rodoviário e fretamento. Além disso, temos uma rede de concessionários muito bem estabelecida e treinada em vários desses países”, revelou Rogério Sousa, gerente de vendas e pós-vendas para exportação de veículos, peças e serviços caminhões e ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.